Mercado fechado
  • BOVESPA

    125.052,78
    -1.093,88 (-0,87%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.268,45
    +27,94 (+0,06%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,17
    +0,26 (+0,36%)
     
  • OURO

    1.802,10
    -3,30 (-0,18%)
     
  • BTC-USD

    34.748,29
    +1.008,84 (+2,99%)
     
  • CMC Crypto 200

    786,33
    -7,40 (-0,93%)
     
  • S&P500

    4.411,79
    +44,31 (+1,01%)
     
  • DOW JONES

    35.061,55
    +238,20 (+0,68%)
     
  • FTSE

    7.027,58
    +59,28 (+0,85%)
     
  • HANG SENG

    27.321,98
    -401,86 (-1,45%)
     
  • NIKKEI

    27.548,00
    +159,80 (+0,58%)
     
  • NASDAQ

    15.091,25
    +162,75 (+1,09%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1216
    +0,0014 (+0,02%)
     

Com microfone dado por Bolsonaro no Pará, apoiador pede defesa de garimpeiros e madeireiros

·2 minuto de leitura
*ARQUIVO* BRASILIA, DF,  BRASIL,  24-08-2020 - O presidente Jair Bolsonaro. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)
*ARQUIVO* BRASILIA, DF, BRASIL, 24-08-2020 - O presidente Jair Bolsonaro. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Em evento nesta sexta-feira (18) com a presença de Jair Bolsonaro em Marabá, no sul do Pará, um dos apoiadores usou o microfone dado pelo presidente para fazer a defesa de madeireiros e garimpeiros.

"Eu vim do outro lado do [rio] Jamanxim dá o recado a vocês", disse o apoiador do presidente após ser conduzido ao microfone pelo próprio Bolsonaro.

"Que ele [Bolsonaro] use a caneta Bic, que o povo deu pra ele, para ele mandar de parar queimar máquina do povo brasileiro, dos garimpeiros e dos madereiros".

O simpatizante do presidente citou os municípios paraenses de Novo Progresso e Itaituba, e o distrito Castelo dos Sonhos, que pertence a Altamira, ao afirmar que o povo da região está agradecido e que "isso que o senhor fez o povo jamais vai esquecer", em referência à pavimentação de um trecho da BR-163.

O evento para a entrega de 50 mil títulos fundiários ocorreu em um parque de exposições e foi aberto ao público.

Logo no início da atividade, Bolsonaro pediu que uma "cerquinha" fosse aberta para que as pessoas pudessem se aproximar. O evento teve clima de campanha eleitoral e contou com gritos de "Lula, ladrão" e a presença do pastor Silas Malafaia.

O tom de campanha eleitoral esteve presente o tempo todo na cerimônia, seja em discursos de políticos locais, de Malafaia ou na fala do próprio Bolsonaro. Com aglomeração, não havia nenhum distanciamento entre as pessoas -muitas sequer usavam máscaras.

Em sua fala, Bolsonaro agradeceu a presença de Malafaia e disse que a entrega dos títulos fundiários afasta o risco de ações do MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra).

"Deixei para citar por último uma pessoa que me é muito grata, veio do Rio de Janeiro acompanhando a comitiva, uma pessoa que não me defende, fala a verdade [...], que é o Silas Malafaia. Um gigante, um homem de fé, mas um homem que tem Deus, além de Deus no coração, ele o tem nas cores verde e amarela."

Segundo o presidente, o homem só pode produzir se tiver segurança no que trabalha e que os títulos distribuídos nesta sexta permitirão isso. "Dessa forma, cada vez mais, nós afastamos as atividades nefastas do MST", afirmou Bolsonaro.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos