Mercado fechado

Com falta de componentes, LG dá férias coletivas em Taubaté (SP)

Gustavo Brigatto

Parada é consequência dos problemas causados pelo coronavírus na China A LG iniciou hoje um período de 10 dias de férias coletivas para funcionários de sua linha de produção de celulares na cidade de Taubaté (SP). A parada é creditada à redução nos estoques de componentes vindos da China por conta da epidemia do novo coronavírus.

De acordo com o Sindicato dos Metalúrgicos de Taubaté, no pedido feito antes do Carnaval, a companhia falava que precisaria dar folga a 330 dos 450 funcionários que trabalham na produção de celulares. No fim da semana passada, no entanto, a fabricante disse que o número seria, na verdade, de 200.

Procurada, a assessoria de imprensa da LG não retornou o contato até a publicação deste texto.

Além da LG, a Flextronics (que produz os celulares da Motorola) e a Samsung também anunciaram paradas de suas fábricas nos últimos dias por conta da falta de componentes vindos da China.

Segundo levantamento feito pela Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica (Abinee) antes do carnaval, 57% das companhias entrevistadas já apresentavam problemas no recebimento de materiais, componentes e insumos provenientes da China, especialmente fabricantes de celulares e computadores.