Mercado abrirá em 2 hs
  • BOVESPA

    129.441,03
    -634,97 (-0,49%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.286,46
    +400,16 (+0,79%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,36
    +0,45 (+0,63%)
     
  • OURO

    1.855,00
    -24,60 (-1,31%)
     
  • BTC-USD

    39.359,38
    +3.367,22 (+9,36%)
     
  • CMC Crypto 200

    979,82
    +38,00 (+4,04%)
     
  • S&P500

    4.247,44
    +8,26 (+0,19%)
     
  • DOW JONES

    34.479,60
    +13,40 (+0,04%)
     
  • FTSE

    7.165,68
    +31,62 (+0,44%)
     
  • HANG SENG

    28.842,13
    +103,23 (+0,36%)
     
  • NIKKEI

    29.161,80
    +213,07 (+0,74%)
     
  • NASDAQ

    14.041,50
    +47,25 (+0,34%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1990
    +0,0064 (+0,10%)
     

Com dólar no menor valor em quatro meses, Bolsonaro prevê queda no preço dos combustíveis

·1 minuto de leitura

BRASÍLIA — O presidente Jair Bolsonaro antecipou que o preço dos combustíveis deverá cair nos próximos dias após a queda da cotação do dólar observada nas últimas semanas. Ao chegar ao Palácio da Alvorada, o presidente foi interpelado por um apoiador que pediu para que o presidente desse atenção para os combustíveis e para a Petrobras.

— O dólar caiu de novo, pode deixar que nos próximos dias vai baixar de novo o combustível — afirmou o presidente.

Nesta sexta-feira, o dólar fechou em queda de 0,97%, no menor valor em quase quatro meses e contabilizando a maior queda semanal desde dezembro. O mercado reagiu aos novos dados sobre o mercado de trabalho nos Estados Unidos, que vieram abaixo do esperado.

A política de preços do combustível pela Petrobras foi o estopim para a saída do ex-presidente da estatal, Roberto Castello Branco. Bolsonaro anunciou a saída de Castello Branco pouco antes do final de seu mandato. O presidente reclamava dos sucessivos aumentos nos preços dos combustíveis desde meados de fevereiro.

Ao indicar o novo presidente, Joaquim Silva e Luna, Bolsonaro afirmou que ele daria "uma arrumada" na estatal, citando que havia "muita coisa errada na empresa". Nesta sexta-feira, o presidente começou a comentar a mudança, mas não completou a frase.

— Além de trocarmos o... — disse Bolsonaro, sem terminar.