Mercado fechado

Com comércio aberto, isolamento social cai no Rio e chega a 39% neste sábado

Agência O Globo

O índice de isolamento social da cidade do Rio chegou a 39%, na tarde deste sábado, e vem caindo a cada fase de reabertura gradual estipulada pela Prefeitura. Neste sábado, com os estabelecimentos comerciais autorizados a funcionar, muitas pessoas foram para as ruas. No último sábado, a taxa de isolamento social estava em 53% e no dia 13 de julho, estava em 71%.

Em relação aos índices do isolamento social nos bairros monitorados pela Cyberlabs, Botafogo, na Zona Sul ficou com a menor taxa, de 6%. No último sábado, o índice já estava baixo, em 28%. O Centro ficou com a taxa de 61%, Copacabana com 46%, Ipanema e Leblon com 44%; Na Zona Norte, Tijuca com 27% na Zona Oeste, a Barra da Tijuca com 51%. Os dados são do monitoramento feito pela empresa de inteligência artificial Cyberlabs, que vem trabalhando em parceria com o Centro de Operações da Prefeitura do Rio (COR), através da análise de 800 câmeras de videomonitoramento de entidades privadas e públicas espalhadas pela cidade. Os percentuais são referentes a determinados números de pessoas a menos nas ruas em relação a um sábado normal, por exemplo, antes da pandemia.

Em relação aos índices do isolamento social nos bairros monitorados pela Cyberlabs, Botafogo, na Zona Sul ficou com a menor taxa, de 6%. O Centro ficou com a taxa de 61%, Copacabana com 46%, Ipanema e Leblon com 44%; Na Zona Norte, Tijuca com 27% e na Zona Oeste, a Barra da Tijuca com 51%. O Centro de Operações também possui uma parceria com a TIM para monitorar a circulação de pessoas na cidade. Até 9h45 deste sábado, a região que mais concentrou pessoas foi a Zona Oeste, com destaque para o bairro de Campo Grande com aproximadamente 2,64 mil. Em São Cristóvão, na Região Central, foi registrado a circulação média de 2,32 mil pessoas. Outros bairros registrados com os maiores números foram Pavuna (2,15 mil), Santa Cruz (1,97 mil) e Bangu (1,94 mil).