Mercado fechado

Com chip próprio, Apple pode reduzir custo de Macs em até 60%

Wagner Wakka

Ming-Chi Kuo acredita, há tempos, que a Apple deva começar a fazer seus próprios processadores com arquitetura ARM para os Macs, deixando de lado a parceria com a Intel. Em nota para investidores, agora, o executivo acredita que isso possa reduzir o preço de produção da peça entre 40% a 60%.

Kuo é analista especializado no mercado de tecnologia e conhecido por antecipar corretamente dados da indústria. Ele vem falando que a Apple está trabalhando em um processador próprio para ter mais controle sobre a peça, considerada chave em um PC.

A estimativa do analista é de que os primeiros aparelhos com chip ARM da Apple cheguem ao mercado já no final deste ano, sendo que os processadores podem migrar para desktops em 2021.

Com isso, a Apple também teria mais capacidade de segurar os preços de seus notebooks em uma faixa mais competitiva, abaixo dos US$ 1000 como acontece com o MacBook Air.

Contudo, essa mudança não vai ser fácil. Segundo nota de Kuo para investidores, a Apple agora enfrenta um problema relacionado à gestão de dados via USB em seu chip. Sem a parceria da Intel, ela teria de buscar outra empresa para fornecer a tecnologia. De acordo com o analista, ela está em conversas com a ASMedia para isso.

Com a negociação, a Apple também poderia já pensar na nova geração de entradas, a USB 4. A expectativa é de que em 2020 e 2021, ela ainda mantenha portas USB 3.1 em seus dispositivos, mas passe para a próxima geração em 2022.

Ao conseguir segurar o preço de seus produtos, mas melhorando especificações, Kuo acredita que a Apple pode ter um salto de vendas de 20 milhões de Macs anuais atualmente, para 30 milhões no futuro.

Apesar das notas para investidores, a fabricante ainda não confirmou nenhum plano de mercado para este ano relacionado a seus Macs. Ou seja, estas informações se mantém apenas como especulações do analista.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: