Mercado fechado
  • BOVESPA

    126.285,59
    +1.673,56 (+1,34%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.344,11
    +433,58 (+0,85%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,36
    +0,71 (+0,99%)
     
  • OURO

    1.806,50
    +6,70 (+0,37%)
     
  • BTC-USD

    39.877,70
    +1.859,40 (+4,89%)
     
  • CMC Crypto 200

    938,33
    +8,40 (+0,90%)
     
  • S&P500

    4.400,64
    -0,82 (-0,02%)
     
  • DOW JONES

    34.930,93
    -127,59 (-0,36%)
     
  • FTSE

    7.016,63
    +20,55 (+0,29%)
     
  • HANG SENG

    25.473,88
    +387,45 (+1,54%)
     
  • NIKKEI

    27.581,66
    -388,56 (-1,39%)
     
  • NASDAQ

    14.981,25
    +33,50 (+0,22%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,0593
    -0,0491 (-0,80%)
     

Com aumento da demanda, BofA espera que petróleo atinja US$100/barril ano que vem

·1 minuto de leitura
Bacia de Permian, Loving County, Texas

(Reuters) - O BofA Global Research elevou suas estimativas para o preço do petróleo Brent neste ano e no próximo, afirmando que as relações mais apertadas de oferta e demanda em 2022 podem empurrar a commodity brevemente para 100 dólares por barril.

"Acreditamos que a recuperação robusta da demanda global por petróleo vai superar o crescimento da oferta nos próximos 18 meses, fazendo com que os estoques diminuam ainda mais e abrindo caminho para preços mais altos", disse o banco em nota datada de domingo.

A instituição elevou sua projeção para o preço do petróleo Brent para 68 dólares por barril, contra 63 dólares estimados anteriormente. Em 2022, espera que o Brent tenha média de 75 dólares/barril, versus previsão anterior de 60 dólares.

O banco destacou que a indústria de "shale" (petróleo não convencional) dos Estados Unidos provavelmente responderá aos preços mais altos com um aumento de produção, o que levaria o Brent a recuar para uma média de 65 dólares por barril em 2023.

O mercado de petróleo deve permanecer deficitário no futuro próximo, com déficit médio de 0,9 milhão de barris por dia (bpd) nos próximos seis trimestres, disse o relatório.

O BofA espera que o crescimento do consumo se recupere fortemente neste ano e no próximo --em 5,6 milhões e 3,6 milhões de bpd, respectivamente, o mais acelerado desde a década de 1970, pelo menos.

Embora a demanda tenda a se recuperar em um ritmo veloz nos próximos meses, o banco alertou que a ampla capacidade ociosa da Opep+ e um provável retorno dos barris do Irã ao mercado vão limitar as cotações do petróleo neste ano.

(Reportagem de Swati Verma, em Bangalore)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos