Mercado fechado
  • BOVESPA

    121.880,82
    +1.174,91 (+0,97%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.219,26
    +389,95 (+0,80%)
     
  • PETROLEO CRU

    65,51
    +1,69 (+2,65%)
     
  • OURO

    1.844,00
    +20,00 (+1,10%)
     
  • BTC-USD

    49.749,09
    +312,80 (+0,63%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.398,33
    +39,77 (+2,93%)
     
  • S&P500

    4.173,85
    +61,35 (+1,49%)
     
  • DOW JONES

    34.382,13
    +360,68 (+1,06%)
     
  • FTSE

    7.043,61
    +80,28 (+1,15%)
     
  • HANG SENG

    28.027,57
    +308,90 (+1,11%)
     
  • NIKKEI

    28.084,47
    +636,46 (+2,32%)
     
  • NASDAQ

    13.398,00
    +297,75 (+2,27%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4040
    -0,0085 (-0,13%)
     

Com ativos na Bahia, mineradora Largo Resources tem aval da Nasdaq para listagem

·1 minuto de leitura

(Reuters) - A mineradora canadense Largo Resources, que possui operações na Bahia e uma unidade voltada a tecnologia de armazenamento de energia, recebeu aprovação para a listagem de suas ações na bolsa norte-americana Nasdaq.

Ações ordinárias da Largo deverão começar a ser negociadas na Nasdaq a partir do pregão de 19 de abril, acrescentou a companhia em comunicado nesta sexta-feira.

A Largo não forneceu mais detalhes sobre a listagem das ações nos EUA.

A companhia, que ainda seguirá com ações na bolsa de Toronto, opera a mina de Maracás Menchen, na Bahia, onde explora depósitos de vanádio. Ela tem projeção de produzir entre 12 mil e 12,5 mil toneladas de pentóxido de vanádio neste ano.

A Largo Resources também tem uma unidade que aposta em tecnologias para armazenamento de energia com vanádio (VRFB), a Largo Clean Energy, lançada em 2020 e com sede nos EUA.

A mineradora tem ainda planos de construir uma planta de processamento de trióxido de vanádio em sua unidade na Bahia que a permitiria aumentar vendas para mercados que exigem alta pureza, como o setor aeroespacial e indústria química, além da área de baterias de fluxo, de acordo com informações de seu site.

Segundo a Largo, a combinação de suas reservas de alta pureza de vanádio com os investimentos de sua unidade de armazenamento deixam a companhia posicionada para capturar uma significativa participação na futura demanda por sistemas de armazenamento de energia renovável.

(Por Luciano Costa)