Mercado fechado

Com apoio da PM, governo de PE leva material hospitalar de loja sem pagar

Marina Falcão

Ação está prevista em decreto que prevê medidas temporárias para enfrentamento do coronavírus Com o apoio das polícias militar e civil, o governo de Pernambuco entrou ontem em uma loja de equipamentos hospitalares e levou, sem pagar, todo o estoque de máscaras do estabelecimento para ser utilizado na rede pública. A ação está prevista em decreto de 14 de março, que prevê medidas temporárias para enfrentamento do coronavírus.

O decreto determina "a requisição de bens, serviços e produtos de pessoas naturais e jurídicas, hipótese em que será garantido o pagamento posterior de indenização justa". Em nota, o governo disse que está "tomando algumas medidas para reduzir os impactos da epidemia de covid-19, com o objetivo de preservar a saúde dos pernambucanos".

A ação, que teve apoio ainda do Procon e da secretaria da Fazenda, ocorreu em uma das lojas da rede Gold Medic, localizada no bairro de Boa Viagem, zona sul do Recife.

"Esse aqui é o nosso país. Nós compramos materiais. Pagamos impostos. Aí o Procon chega com a polícia civil, com a Receita Federal, entra na sua empresa e pega tudo seu que acha que é direito dele. E diz que vai pagar depois. É fogo, é difícil esse Brasil", diz o proprietário da loja, em vídeo que circula nas redes sociais. O empresário preferiu não ter seu nome revelado.