Mercado fechado
  • BOVESPA

    110.249,73
    +1.405,98 (+1,29%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.828,13
    +270,48 (+0,53%)
     
  • PETROLEO CRU

    70,51
    -0,05 (-0,07%)
     
  • OURO

    1.775,50
    -2,70 (-0,15%)
     
  • BTC-USD

    40.876,21
    -2.070,59 (-4,82%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.012,23
    -51,62 (-4,85%)
     
  • S&P500

    4.354,19
    -3,54 (-0,08%)
     
  • DOW JONES

    33.919,84
    -50,63 (-0,15%)
     
  • FTSE

    6.980,98
    +77,07 (+1,12%)
     
  • HANG SENG

    24.221,54
    +122,40 (+0,51%)
     
  • NIKKEI

    29.839,71
    0,00 (0,00%)
     
  • NASDAQ

    14.971,50
    -52,50 (-0,35%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1766
    -0,0025 (-0,04%)
     

Com alta acumulada de 30% no ano, Bitcoin volta a ser o melhor investimento no mês de julho

·2 minuto de leitura
Preço do Bitcoin em alta
Preço do Bitcoin em alta

Carteira de investimentos com ativos financeiros volta a destacar o Bitcoin como melhor ativo do mês de julho e até do ano após nova alta no preço.

De acordo com o Valor Econômico, que acompanha o desempenho de vários ativos do mercado financeiro brasileiro, o Bitcoin ficou três meses sendo o pior investimento. A sequência de quedas do mercado aconteceu após a moeda digital atingir a alta histórica em abril.

Dessa forma, o preço do Bitcoin fechou o mês de julho com uma alta de 22,71% em relação ao Real brasileiro. A criptomoeda acabou tendo o melhor desempenho no mês, batendo investimentos no Ouro da B3 (7,25%), Ibovespa (-4,77%) e até em dólar mercado (3,86%).

Os valores apurados pelo Valor já descontam o IPCA do período, ou seja, mostra que a reserva de valor da criptomoeda continua sendo interessante para os brasileiros que atravessam uma inflação de 8,35% nos últimos 12 meses.

No acumulado do ano, o preço do Bitcoin já subiu 30,84% em relação ao Real, uma alta significativa e que passa longe dos demais ativos do mercado tradicional.

Alta do Bitcoin chama atenção do mercado no mês de julho após sequência de quedas

Mesmo com quedas em três meses, o Bitcoin ainda é uma “aplicação” rentável para quem acredita na tecnologia. No ano de 2020, foi o campeão de ganhos do mercado brasileiro, que viu uma alta de 300% frente o Real.

Nas últimas 24 horas, a nova alta da criptomoeda voltou a chamar atenção, com o preço alcançando US$ 42.500 em várias corretoras pelo mundo. No Brasil, o preço chegou a superar os R$ 220 mil, valor que não era visto desde o dia 20 de maio, quando a máxima do dia alcançou os R$ 226 mil.

O fim de julho mostra que o mercado de criptomoedas voltou a operar em alta no Brasil, superando novamente outros ativos, com o Bitcoin sendo o protagonista dos investimentos.

Os fatores que elevaram a moral do mercado neste mês foram principalmente a possível entrada da Amazon no setor, a compra de Bitcoin pela SpaceX, anunciada por Elon Musk, e o aumento nos saques de corretoras, métrica fundamentalista que costuma indicar que o mercado desistiu de vender/negociar as moedas.

Em relação ao Dólar, a alta do Bitcoin foi de 23,6% nos últimos sete dias, sendo a maior dentre às dez principais criptomoedas.

Vale notar que a nova alta do BTC no mercado ainda elevou a confiança nesta moeda, que acabou recebendo uma dominância de 48% nos últimos 30 dias e a maior desde o dia 22 de junho.

Fonte: Livecoins

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos