Mercado fechado
  • BOVESPA

    112.291,59
    +413,06 (+0,37%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    43.934,21
    +259,38 (+0,59%)
     
  • PETROLEO CRU

    45,70
    +0,06 (+0,13%)
     
  • OURO

    1.844,10
    +3,00 (+0,16%)
     
  • BTC-USD

    19.491,28
    +542,38 (+2,86%)
     
  • CMC Crypto 200

    382,19
    +7,79 (+2,08%)
     
  • S&P500

    3.666,72
    -2,29 (-0,06%)
     
  • DOW JONES

    29.969,52
    +85,73 (+0,29%)
     
  • FTSE

    6.490,27
    +26,88 (+0,42%)
     
  • HANG SENG

    26.728,50
    +195,92 (+0,74%)
     
  • NIKKEI

    26.809,37
    +8,39 (+0,03%)
     
  • NASDAQ

    12.481,25
    +19,00 (+0,15%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2383
    -0,0815 (-1,29%)
     

Com 662 novas mortes, Brasil se aproxima de 155 mil óbitos

·1 minuto de leitura
*ARQUIVO* SAO PAULO, SP. 03/08/2020. Vista aérea das covas recém abertas e dos túmulos onde foram sepultadas as vítimas da Covid-19 no cemitério da Vila Formosa, na zona leste de São Paulo. (Foto: Lalo de Almeida/Folhapress)
*ARQUIVO* SAO PAULO, SP. 03/08/2020. Vista aérea das covas recém abertas e dos túmulos onde foram sepultadas as vítimas da Covid-19 no cemitério da Vila Formosa, na zona leste de São Paulo. (Foto: Lalo de Almeida/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O Brasil registrou 662 novas mortes pela Covid-19 e 23.690 casos da doença, nesta terça (20). Com isso, o país chega a 154.888 óbitos e 5.274.817 de pessoas infectadas pelo novo coronavírus desde o início da pandemia.

De acordo com os dados coletados até as 20h, a média de mortes nos últimos sete dias é de 546, o que representa um cenário de queda em relação à média de 14 dias atrás. Recentemente, o país chegou a estar em situação de queda da média, mas, em seguida, retornou ao patamar de estabilidade dos dados de mortes.

Os dados são fruto de colaboração inédita entre Folha de S.Paulo, UOL, O Estado de S. Paulo, Extra, O Globo e G1 para reunir e divulgar os números relativos à pandemia do novo coronavírus. As informações são coletadas diretamente com as Secretarias de Saúde estaduais.

A iniciativa do consórcio de veículos de imprensa ocorre em resposta às atitudes do governo Jair Bolsonaro (sem partido), que ameaçou sonegar dados, atrasou boletins sobre a doença e tirou informações do ar, com a interrupção da divulgação dos totais de casos e mortes. Além disso, o governo divulgou dados conflitantes.