Mercado fechará em 3 h 43 min

Com 30% entregue, governo Doria cancela contrato milionário de respiradores para UTIs

Acordo milionário foi suspenso após entrega de somente 30% do respiradores comprados. (Foto: Aloisio Mauricio/Fotoarena)(Sipa via AP Images)

O governo de São Paulo, sob o comando de João Doria (PSDB), cancelou o contrato milionário com a intermediária Hichens Harrison para a compra de respiradores chineses após receber somente 30% dos equipamentos acordados, pelos quais o governo já pagou R$ 242 milhões. Os equipamentos seriam destinados a pacientes do novo coronavírus internados em leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva).

“Um dos fornecedores, a Hitchens Harisson, o contrato terminou o prazo de contratação ontem (15 de junho) e nesse sentido não houve a entrega total daquilo que estava acordado. Em função disso, está cancelado o contrato e nós iremos passar de uma fase operacional para uma fase jurídica de encerramento do contrato. Foram entregues até agora 30% daquilo que tinha sido acordado”, anunciou o secretário estadual de Saúde, José Henrique Germann, na coletiva de imprensa nesta terça-feira (16).

Leia também

A compra polêmica, alvo de investigação do MP-SP (Ministério Público de São Paulo) e do TCE-SP (Tribunal de Contas do Estado de São Paulo), foi realizada em março deste ano e previa a entrega de 3 mil respiradores ao custo de R$ 500 milhões. A entrega dos aparelhos devia, inicialmente, ter sido concluída em maio, o que não ocorreu.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

O atraso da entrega levou à repactuação do acordo para R$ 242 milhões e 1.280 equipamentos, uma adequação do valor adiantado pelo governo paulista em abril à intermediária Hichens Harrison. O pedido para repactuação partiu da própria intermediária.

Dos 1.280 respiradores pagos, somente 384 equipamentos foram entregues, de acordo com a declaração feita por Germann que somente 30% do total acordado no contrato foi cumprido.

Até a semana retrasada, a empresa havia entregue, do modelo AX400, 50 equipamentos em 29 de maio e 100 nesta terça (2); 150 deveriam ser entregues "nos próximos dias", segundo a Hichens Harrison. Já do modelo SH300, mais caro, foram entregues apenas 133 unidades, em 25 de maio.

Pelo acordo firmado, deveriam ter sido entregues 750 equipamentos até 30 de maio e outros 170 no dia 10 de junho, o que não aconteceu.