Mercado fechado

Com 1 milhão de casos de Covid-19, Brasil teve "reação exemplar à pandemia", diz Secom

O início da pandemia no Brasil se deu no dia 26 de fevereiro de 2020, enquanto a primeira morte foi confirmada 20 dias depois, em 17 de março. (Foto: Sandro Pereira/Fotoarena/Sipa USA)(Sipa via AP Images)

No dia em que o Brasil atingiu a triste marca de 1 milhão de casos confirmados do novo coronavírus, a Secom (Secretaria Especial de Comunicação Social) classificou como “exemplar” a reação do governo de Jair Bolsonaro (sem partido) frente à pandemia.

O adjetivo consta em uma publicação feita pela pasta, comandada agora pelo novo ministro das Comunicação, Fábio Faria, no Twitter, na tarde desta sexta-feira (19). “O Governo do Presidente Jair Bolsonaro sempre teve na defesa da vida sua maior causa: da vida do nascituro à reação exemplar à pandemia, passando pelo combate ao crime e a diversas doenças”, escreveu a Secom.

Leia também

O card publicitário lista algumas ações realizadas pelo governo federal com o slogan “O Brasil vai seguir em frente”. “Pensão vitalícia para as famílias com vítimas do vírus Zika; Impostos zerados para medicamentos contra câncer e AIDS; Queda em todos os principais índices de violência; Recordes de apreensões de drogas; Reação exemplar à pandemia; Centenas de bilhões de reais já destinados; Socorro a estados, municípios, população e empresas; 10 milhões de empregos preservados”, listou a pasta.

Segundo dados do consórcio formado por veículos de imprensa, o país tem agora 1.009.699 casos confirmados e 48.427 mortos. A marca de um milhão de pessoas só foi atingida pelos Estados Unidos, que atualmente registram mais de dois milhões de casos e já ultrapassou as 118 mil mortes.

O início da pandemia no Brasil se deu no dia 26 de fevereiro de 2020, depois da confirmação de que um homem de 61 anos, morador de São Paulo que havia retornado da Itália, testou positivo para a Covid-19.

A primeira morte foi confirmada 20 dias depois, em 17 de março. O paciente era um homem de 62 anos que tinha diabetes e hipertensão. Ele estava internado na UTI do Hospital Sancta Maggiore Paraíso desde o dia 14 e morreu no dia 16. Ele não tinha histórico de viagem para o exterior.

LANTERNA EM RANKING MUNDIAL

O país, que já é o segundo em números de mortes pela Covid-19, vem sofrendo com a condução errática da pandemia pelo governo, além de ver as crises econômica e social se agravarem. As ações de Bolsonaro e sua equipe fizeram com que o Brasil obtivesse as duas piores avaliações em um ranking mundial que ouviu cidadãos sobre a forma como os seus governos responderam à Covid-19.

O retrato do Brasil nesse ranking é de um país cujo governo deu respostas parcialmente insuficientes ou totalmente insuficientes frente à pandemia, além de ter um governante que não fez o suficiente para restringir o deslocamento da população pelo país.

Os resultados constam no Índice de Percepção da Democracia 2020 (DPI - Democracy Perception Index), um levantamento feito pela instituto de pesquisas alemão Dalia Research, que ouviu 124 mil pessoas de 53 países diferentes entre 20 de abril e 3 de junho deste ano. O foco da pesquisa é a respeito da percepção do regime democrático em que os cidadãos vivem em seus respectivos países, mas este ano foram acrescidas questões sobre a condução dos governos na luta contra a pandemia.

Na pesquisa, 62% dos brasileiros ouvidos consideraram que a resposta dada pelo governo Bolsonaro diante da crise do novo coronavírus foi “um pouco insuficiente” (32%) ou “muito insuficiente” (30%). Questionados sobre as medidas restritivas adotadas pelo governo, 60% dos entrevistados afirmaram que as ações “foram insuficientes”.