Mercado fechado
  • BOVESPA

    117.669,90
    -643,33 (-0,54%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.627,67
    -560,48 (-1,16%)
     
  • PETROLEO CRU

    59,34
    -0,26 (-0,44%)
     
  • OURO

    1.744,10
    -14,10 (-0,80%)
     
  • BTC-USD

    58.950,01
    +278,84 (+0,48%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.235,89
    +8,34 (+0,68%)
     
  • S&P500

    4.128,80
    +31,63 (+0,77%)
     
  • DOW JONES

    33.800,60
    +297,03 (+0,89%)
     
  • FTSE

    6.915,75
    -26,47 (-0,38%)
     
  • HANG SENG

    28.698,80
    -309,27 (-1,07%)
     
  • NIKKEI

    29.768,06
    +59,08 (+0,20%)
     
  • NASDAQ

    13.811,00
    +63,25 (+0,46%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7625
    +0,1276 (+1,92%)
     

Comércio e pubs do Reino Unido criticam uso de certificado de Covid para entrar em loja

JOANA CUNHA
·1 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Além de enfrentar oposição no parlamento, a ideia do primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, de criar certificados para atestar quem tem baixo risco de transmitir a Covid-19, após vacina, teste ou cura de infecção recente, tem recebido críticas de lojas e pubs. Para o BRC (consórcio de empresas do varejo britânico), a verificação de documentos na entrada das lojas seria uma barreira às compras por impulso. Os pequenos varejistas também criticaram a ideia, afirmando que geraria um custo adicional para contratar o trabalhador que ficaria na porta dos estabelecimentos checando os certificados. Já a associação nacional dos pubs reclama que os clientes mais jovens acabariam afastados, porque devem demorar mais tempo para receber a vacina. Com tendência de baixa nas infecções pelo coronavírus, o Reino Unido começa a relaxar restrições ao comércio não essencial na próxima semana. O governo também prevê testes gratuitos para todos duas vezes por semana.