Mercado abrirá em 8 h 10 min
  • BOVESPA

    109.951,49
    +2.121,77 (+1,97%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    53.125,01
    -210,50 (-0,39%)
     
  • PETROLEO CRU

    78,36
    -0,11 (-0,14%)
     
  • OURO

    1.891,10
    +0,40 (+0,02%)
     
  • BTC-USD

    22.555,47
    -714,19 (-3,07%)
     
  • CMC Crypto 200

    518,90
    -17,99 (-3,35%)
     
  • S&P500

    4.117,86
    -46,14 (-1,11%)
     
  • DOW JONES

    33.949,01
    -207,68 (-0,61%)
     
  • FTSE

    7.885,17
    +20,46 (+0,26%)
     
  • HANG SENG

    21.353,34
    +69,82 (+0,33%)
     
  • NIKKEI

    27.493,63
    -112,83 (-0,41%)
     
  • NASDAQ

    12.581,25
    +36,00 (+0,29%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5797
    +0,0123 (+0,22%)
     

Colômbia está interessada em implementar o Pix

Colômbia está interessada em adotar o Pix, afirmou Guedes (Cris Faga/NurPhoto via Getty Images)
Colômbia está interessada em adotar o Pix, afirmou Guedes (Cris Faga/NurPhoto via Getty Images)
  • Canadá também estaria interessado no sistema desenvolvido pelo Banco Central;

  • Pix foi criado pelo Banco Central por um baixo custo, afirmou Roberto Campos Neto;

  • Guedes também quer que um brasileiro assuma a presidência do Banco Interamericano de Desenvolvimento.

O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou nesta manhã de sexta-feira (14), que a Colômbia estaria interessada em implementar o Pix, sistema de pagamentos instantâneos do Banco Central (BC). O ministro teria discutido sobre isto mais cedo com o ministro da Economia colombiano, José Antonio Ocampo.

"Eles querem a nossa ajuda em transferências digitais, nos avanços com o Pix. Tem toda uma tecnologia nova de transferência usando meios digitais", afirmou Guedes após deixar a reunião com a Colômbia. Nosso vizinho sul-americano também estaria interessado na estrutura de open banking, que permitiu a abertura do sistema financeiro brasileiro.

De acordo com Guedes, também foi abordado o tema do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e o futuro da instituição, como a nomeação de futuros presidentes. "Achamos que países que já comandaram o BID não devem voltar à presidência", afirmou Paulo Guedes.

O ministro está aproveitando a reunião anual do Fundo Monetário Internacional para se encontrar bilateralmente com outros países americanos, em busca de conseguir a indicação de um brasileiro para comandar o BID. Em sua visão está na hora do Brasil ocupar o cargo, uma vez que é o maior país da região. Como sempre, Guedes defendeu o mandato único do presidente, sem possibilidade de renovação.

No passado, o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, já havia declarado o interesse do país vizinho em adotar o sistema de pagamentos. O Canadá, outro gigante americano, também estaria interessado no sistema, que segundo Campos Neto foi criado sem muitos custos. "O Pix é muito barato, custou R$ 5 milhões para o Banco Central", disse.