Mercado fechado
  • BOVESPA

    129.441,03
    -635,14 (-0,49%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.286,46
    +400,13 (+0,79%)
     
  • PETROLEO CRU

    70,78
    +0,49 (+0,70%)
     
  • OURO

    1.879,50
    -16,90 (-0,89%)
     
  • BTC-USD

    35.961,35
    +215,07 (+0,60%)
     
  • CMC Crypto 200

    924,19
    -17,62 (-1,87%)
     
  • S&P500

    4.247,44
    +8,26 (+0,19%)
     
  • DOW JONES

    34.479,60
    +13,36 (+0,04%)
     
  • FTSE

    7.134,06
    +45,88 (+0,65%)
     
  • HANG SENG

    28.842,13
    +103,25 (+0,36%)
     
  • NIKKEI

    28.948,73
    -9,83 (-0,03%)
     
  • NASDAQ

    13.992,75
    +33,00 (+0,24%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1926
    +0,0391 (+0,64%)
     

Colheita da 2ª safra de milho do Paraná começa de forma pontual, diz Deral

·2 minuto de leitura
Milhos da segunda safra do Brasil armazenados do lado de fora de silos já cheios do grão

SÃO PAULO (Reuters) - A colheita da segunda safra de milho do Paraná começou de forma pontual no Estado que é o segundo produtor brasileiro do cereal, informou o Departamento de Economia Rural (Deral) nesta terça-feira, indicando que 1% da área está colhida.

O ritmo está um pouco aquém do visto no ano passado, após problemas no plantio devido a uma primeira safra de soja atrasada. Em 25 de maio de 2020, o Paraná já tinha 2% da área de milho colhida.

"A colheita é bem pontual em áreas precoces ao sul. A colheita mesmo acontece a partir do final de junho...", observou o especialista do Deral Edmar Gervásio.

Ele disse que as chuvas recentes registradas no Paraná, após um longo período de seca que causou perdas expressivas para a safra, não são um problema, considerando que a maior parte da colheita ocorre mais tarde.

"Não impactam (as chuvas), pois é muito pouco o volume de colheita", disse.

Segundo dados do Deral, 7% da área de milho está em maturação, 41% em frutificação, 44% em floração e 8% em desenvolvimento vegetativo.

As condições das lavouras continuam sentindo os efeitos da seca, segundo os dados, que apontam apenas 22% das áreas em boa situação, 46% em média e 32% em ruim.

"Em relação às perdas, devemos ter uma visão mais clara nos próximos dez dias, quando será possível visualizar os impactos da chuva", disse o especialista, ao ser questionado se precipitações recentes cessaram os danos.

Ao final de maio, o Deral reduziu sua estimativa de segunda safra de milho do Paraná para 10,3 milhões de toneladas, versus 12,23 milhões no relatório anterior.

O milho do Estado foi um dos mais afetados no centro-sul pela seca.

Nestas terça-feira, a consultoria AgRural voltou reduzir sua estimativa para a região do Brasil, para 60 milhões de toneladas, ante 65,1 milhões no mês anterior.

No caso do trigo, o plantio tem avançado no principal Estado produtor brasileiro do cereal, atingindo 71% da área projetada, e as condições das lavouras estão majoritariamente boas.

A safra de trigo do Paraná deverá atingir 3,8 milhões de toneladas, alta de 22% em relação ao ano anterior.

(Por Roberto Samora; Edição de Luciano Costa)