Mercado fechará em 5 h 24 min
  • BOVESPA

    109.498,57
    +1.010,69 (+0,93%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.599,14
    +80,84 (+0,16%)
     
  • PETROLEO CRU

    109,78
    -0,50 (-0,45%)
     
  • OURO

    1.856,10
    +14,00 (+0,76%)
     
  • BTC-USD

    30.260,68
    +270,38 (+0,90%)
     
  • CMC Crypto 200

    678,25
    +3,37 (+0,50%)
     
  • S&P500

    3.946,68
    +45,32 (+1,16%)
     
  • DOW JONES

    31.717,44
    +455,54 (+1,46%)
     
  • FTSE

    7.489,65
    +99,67 (+1,35%)
     
  • HANG SENG

    20.470,06
    -247,18 (-1,19%)
     
  • NIKKEI

    27.001,52
    +262,49 (+0,98%)
     
  • NASDAQ

    11.866,25
    +25,50 (+0,22%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1159
    -0,0369 (-0,72%)
     

Coleção de Uncharted no PS5 é ótima, mas não impressiona

·7 min de leitura

A PlayStation está em ritmo de relançamentos. Após as versões de God of War e Horizon Zero Dawn para computadores, além das edições de diretor de Ghost of Tsushima e Death Stranding, chegou a hora dos fãs reencontrarem uma franquia querida na nova geração: Uncharted.

Marcada para estrear no PlayStation 5 em 28 de janeiro, Uncharted: Legacy of Thieves Collection (ou Uncharted: Coleção Legado dos Ladrões, em português), reúne remasterizações das campanhas de Uncharted 4: A Thief's End (2016) e de Uncharted: The Lost Legacy (2017), os dois jogos mais recentes da franquia — o modo multiplayer não foi incluído, mas permanece ativo no PS4. Uma versão para PC já foi anunciada, mas está sem data de lançamento por enquanto.

O Canaltech pôde testar a coleção no PS5, graças a uma cópia digital gentilmente cedida pela PlayStation, e conta a seguir os principais detalhes e impressões dos relançamentos.

O que muda nas remasterizações

Tenho excelentes memórias da franquia Uncharted, então foi bom reviver as aventuras de Nathan Drake e Chloe Frazer mais uma vez — ah, ouvir a música tema novamente me deixou arrepiada, que saudades! Entretanto, a experiência da coleção no PS5 não surpreende. Apesar de A Thief’s End e The Lost Legacy terem quase seis e cinco anos de vida, respectivamente, há um fato inegável que estes jogos compartilham: ambos são impressionantes e de tirar o fôlego no PlayStation 4, com seus cenários e cutscenes deslumbrantes.

A coleção de PS5 não recebeu mudanças visuais gigantescas, apenas alguns ajustes na iluminação e maior nitidez dos elementos na tela, que elimina serrilhados e destaca texturas nos cenários e rostos dos personagens. Ainda são jogos muito, muito bonitos, mas certos detalhes denunciam com facilidade que tratam-se de lançamentos da geração passada — não que isso seja um problema, mas certamente pode influenciar o interesse de quem está disposto a investir nestes games mais uma vez.

Jogos da nova coletânea de Uncharted já eram bonitos no PS4, mas não surpreendem no PS5. (Imagem: Captura de Tela/Bruna Penilhas/Canaltech)
Jogos da nova coletânea de Uncharted já eram bonitos no PS4, mas não surpreendem no PS5. (Imagem: Captura de Tela/Bruna Penilhas/Canaltech)

É um pouco frustrante ver que a dupla de games não é capaz de rodar na resolução 4K e a 60 quadros por segundo (FPS) — muito provavelmente veremos isso acontecer na futura versão para PC. No PS5, a coleção traz as seguintes opções gráficas:

  • Modo Fidelidade: favorece a resolução em 4k e mantém a taxa de quadros em 30 FPS;

  • Modo Desempenho: resolução e taxa de quadros equilibradas, rodando a 60FPS;

  • Modo Desempenho+: resolução reduzida para 1080p, mas taxa de quadros é aprimorada para 120 FPS;

Cenários continuam bem definidos mesmo no Modo Desempenho. (Imagem: Captura de Tela/Bruna Penilhas/ Canaltech)
Cenários continuam bem definidos mesmo no Modo Desempenho. (Imagem: Captura de Tela/Bruna Penilhas/ Canaltech)

No caso do Modo Desempenho, a PlayStation nota que, ao jogar em uma TV com resolução 4K, o visual sofrerá um upscaling a partir da resolução-base de 1.440p (ou seja, não é um 4K totalmente nativo). Já ao jogar em uma TV de 1.080p, você terá uma resolução de 1.080p otimizada a partir da resolução-base de 1.440p com suavização melhorada.

Durante a jogatina, testei todos os modos disponíveis em uma TV 4K com suporte à 120Hz. Não há dúvidas de que o Modo Desempenho é a melhor opção, já que oferece o equilíbrio adequado entre visual e performance. Particularmente, diria para os jogadores passarem longe do Modo Fidelidade, que traz engasgos perceptíveis e incômodos na taxa de quadros por segundo. Não vale a pena sacrificar a fluidez da jogatina em 60 FPS pelo 4K nativo — a diferença de resolução entre o Modo Fidelidade e Desempenho nem é tão gritante assim.

O Modo Desempenho+ não desapontou ao entregar um gameplay em 120FPS — um deleite para quem curte taxas mais altas em jogos de tiro. O fato da resolução ser reduzida para 1080p pode assustar, mas é completamente tolerável — de novo, os jogos já eram visualmente incríveis no PS4, lembra? Então não é como se este modo fosse um regresso gigantesco. Além disso, acredito que a TV 4K que utilizei tenha realizado um sutil upscaling automático na resolução, já que o Modo Jogo era ativado no momento em que eu selecionava essa opção gráfica.

Captura realizada no modo Fidelidade (4K nativo), que ressalta detalhes nos cenários e personagens. (Imagem: Captura de Tela/Bruna Penilhas/ Canaltech)
Captura realizada no modo Fidelidade (4K nativo), que ressalta detalhes nos cenários e personagens. (Imagem: Captura de Tela/Bruna Penilhas/ Canaltech)

Outro destaque da coleção remasterizada são os recursos do DualSense. Os gatilhos adaptáveis mudam de acordo com a arma que o jogador está usando: as pistolas, por exemplo, oferecem um pouco mais de resistência no R2 por conta dos tiros cadenciados, enquanto as metralhadoras deixam o gatilho mais “solto” por conta da rajada rápida de disparos.

A resposta tátil do controle de PS5 oferece vibrações nos momentos de tiroteio, combate corpo a corpo e sutis vibrações nos trechos de exploração com carro. No geral, os recursos do DualSense não são exagerados — mas também não são tão complexos quanto os que encontramos em jogos desenvolvidos nativamente para essa geração, como Marvel’s Spider-Man: Miles Morales. Mesmo assim, é uma adição bem-vinda ao gameplay, e sentir as diferentes resistências para cada tipo de arma proporciona uma sensação agradável.

Transferência de save e troféus entre gerações

Coleção de Uncharted no PS5 vale muito a pena para quem ainda não jogou os games. (Imagem: Captura de Tela/Bruna Penilhas/Canaltech)
Coleção de Uncharted no PS5 vale muito a pena para quem ainda não jogou os games. (Imagem: Captura de Tela/Bruna Penilhas/Canaltech)

Outro ponto básico, mas positivo, é que a coletânea permite que você recupere facilmente o seu save de Uncharted 4 e The Lost Legacy do PS4. Ao abrir o jogo no PS5, haverá uma opção no menu inicial de importar o arquivo de salvamento registrado manualmente no console ou na nuvem (benefício exclusivo da PS Plus). A transferência é rápida e simples, confira o passo a passo:

  1. Certifique-se que seu save original está registrado na nuvem ou no console utilizado;

  2. Abra Uncharted: Coleção Legado dos Ladrões no PS5;

  3. Selecione Uncharted 4 ou The Lost Legacy no menu inicial;

  4. Vá para História e, em seguida, selecione Importar Jogo do PS4;

  5. Escolha o arquivo de jogo salvo que deseja importar da lista exibida;

  6. Selecione a opção Novos Dados de Jogo; e pronto! Seu save estará importado.

Feito isso, seus troféus conquistados na jogatina original também serão transferidos para a coleção de PS5. Lembre-se também que é possível selecionar o capítulo que você desejar jogar, caso já tenha finalizado o mesmo anteriormente.

Uncharted: Legacy of Thieves Collection tem upgrade gratuito?

Upgrade para a coleção remasterizada de PS5 é pago. (Imagem: Divulgação/PlayStation)
Upgrade para a coleção remasterizada de PS5 é pago. (Imagem: Divulgação/PlayStation)

Não, então pense bem se vale a pena pagar um valor adicional pela coletânea se você já possuir os jogos na geração anterior.

Aqueles que possuem uma cópia de Uncharted 4, de The Lost Legacy ou do bundle digital que inclui os dois jogos no PS4, podem realizar o upgrade para a coletânea de PS5 pagando um valor adicional de US$ 10 (no Brasil, o preço deve custar em torno de R$ 50).

Quem resgatou uma cópia de Uncharted 4 por meio do serviço PlayStation Plus não tem direito ao upgrade. Separadamente, Legado dos Ladrões custa R$ 249,50 na PlayStation Store.

Vale a pena comprar Uncharted: Legacy of Thieves Collection?

Se esta é a sua primeira vez na franquia da Naughty Dog e possui um PS5, vale a pena investir na nova coletânea. Você terá acesso às melhores versões de Uncharted 4 e de The Lost Legacy, com novidades que aproveitam o veloz SSD do PlayStation 5 e os recursos do DualSense. Fãs de jogos de ação não podem perder a chance de conhecer as jornadas de Nathan e Chloe. Deixo também a sugestão para jogar Uncharted: The Nathan Drake Collection, coleção remasterizada dos três primeiros jogos da franquia disponível para PS4 (e incluída na PlayStation Collection da PS Plus para PS5).

Por outro lado, Uncharted: Coleção Legado dos Ladrões não transforma a experiência de quem já jogou estas aventuras no PlayStation 4. As mudanças não são significativas ao ponto de justificarem o investimento na coletânea, principalmente se levarmos em consideração o fato de que as versões originais ainda são excelentes e suficientes para quem só quer matar a saudade. Só compre se você for muito fã da franquia, mas vá sabendo que não encontrará nenhuma surpresa.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos