Mercado abrirá em 37 mins
  • BOVESPA

    106.858,87
    +1.789,18 (+1,70%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.605,56
    +8,27 (+0,02%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,53
    +2,04 (+2,94%)
     
  • OURO

    1.781,10
    +1,60 (+0,09%)
     
  • BTC-USD

    51.415,57
    +3.916,01 (+8,24%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.334,01
    +73,85 (+5,86%)
     
  • S&P500

    4.591,67
    +53,24 (+1,17%)
     
  • DOW JONES

    35.227,03
    +646,95 (+1,87%)
     
  • FTSE

    7.317,72
    +85,44 (+1,18%)
     
  • HANG SENG

    23.983,66
    +634,28 (+2,72%)
     
  • NIKKEI

    28.455,60
    +528,23 (+1,89%)
     
  • NASDAQ

    16.123,00
    +280,25 (+1,77%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4144
    -0,0092 (-0,14%)
     

Colômbia venderá novos títulos verdes de olho em demanda ESG

·3 min de leitura

(Bloomberg) -- Um mês depois do desempenho muito superior no mercado secundário de sua primeira emissão doméstica em meio ao apetite por ativos destinados a ajudar o meio ambiente, a Colômbia planeja uma nova venda de títulos verdes.

Most Read from Bloomberg

Em 27 de outubro, o país oferecerá pelo menos 650 bilhões de pesos (US$ 170 milhões) a mais dos títulos de 10 anos, disse o diretor de Crédito Público, César Arias, em entrevista. Dependendo da demanda, o governo pode vender até 975 bilhões de pesos dos títulos, que financiarão energias renováveis, gestão da água, transporte limpo e medidas para frear a mudança climática.

A Colômbia está à frente de países latino-americanos quando se trata de financiamento verde no mercado doméstico, tornando-se a primeira nação a aproveitar a crescente demanda internacional com a venda de dívida no mercado doméstico. Embora permaneça o ceticismo global sobre o nível de eficácia desses ativos para o incentivo de práticas verdes, os títulos deram um salto depois da emissão e agora rendem quase 20 pontos-base menos do que notas convencionais equivalentes, triplicando o chamado “greenium” em relação ao nível de quando estrearam.

Foi uma decisão fácil emitir mais títulos devido aos custos mais baixos para o governo e ao apelo para investidores estrangeiros com mandato para focar em questões ambientais, sociais e de governança, ou ESG na sigla em inglês, de acordo com Arias. Cerca de 45% da primeira emissão verde da Colômbia foi destinada a fundos estrangeiros, muito mais do que a participação internacional geral de 26%. Os títulos também são menos voláteis, ampliando seu apelo.

“Os títulos verdes têm três vantagens: custo, resiliência e diversificação”, disse Arias.

Países em desenvolvimento como a Colômbia começam recuperar o atraso em relação ao boom de emissões de dívidas destinadas a financiar esforços ambientais, um mercado que tem sido liderado por países europeus, incluindo França, Reino Unido e Alemanha. Governos do mundo todo venderam US$ 67,5 bilhões em títulos verdes no acumulado do ano, já ultrapassando o total de US$ 37,5 bilhões de 2020, de acordo com dados compilados pela Bloomberg Intelligence.

Com a expansão das emissões, alguns investidores e analistas levantam questões sobre o real impacto dos títulos no combate a problemas como poluição e mudança climática. Especialistas criticam o chamado greenwashing, termo usado para se referir a empresas ou países que exageram os benefícios ambientais a fim de atender à enorme demanda, reduzir os juros de financiamento e melhorar a reputação.

Na Colômbia, que conta com a maior biodiversidade por metro quadrado do que qualquer país, o governo diz que tem uma estrutura em vigor para garantir que os fundos serão investidos em causas verdes.

“A Colômbia está comprometida com o crescimento e desenvolvimento sustentáveis”, de acordo com apresentação a investidores.

Com a emissão deste mês, a Colômbia terá concluído os planos de emitir até 2 trilhões de pesos em títulos verdes este ano. As ofertas de títulos ESG de 2022 ocorrerão no segundo semestre, disse Arias.

Nesse ínterim, o Ministério da Fazenda identificará projetos que atendam às credenciais ambientais a serem financiados no orçamento de 2022, disse.

“Estamos totalmente focados na venda de títulos verdes no mercado local e em moeda local”, disse Arias. “A ideia desse primeiro exercício era ganhar visibilidade e fortalecer o sentido ambientalista de nossa política fiscal.”

Most Read from Bloomberg Businessweek

©2021 Bloomberg L.P.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos