Mercado fechado
  • BOVESPA

    96.582,16
    +1.213,40 (+1,27%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    36.801,37
    -592,34 (-1,58%)
     
  • PETROLEO CRU

    36,31
    +0,14 (+0,39%)
     
  • OURO

    1.868,50
    +0,50 (+0,03%)
     
  • BTC-USD

    13.596,90
    +166,22 (+1,24%)
     
  • CMC Crypto 200

    266,67
    +23,99 (+9,89%)
     
  • S&P500

    3.310,11
    +39,08 (+1,19%)
     
  • DOW JONES

    26.659,11
    +139,16 (+0,52%)
     
  • FTSE

    5.581,75
    -1,05 (-0,02%)
     
  • HANG SENG

    24.586,60
    0,00 (0,00%)
     
  • NIKKEI

    23.207,10
    -124,84 (-0,54%)
     
  • NASDAQ

    11.175,00
    -167,75 (-1,48%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7457
    +0,0001 (+0,00%)
     

Colômbia planejar usar linha de crédito do FMI de forma gradual

Oscar Medina
·2 minutos de leitura

(Bloomberg) -- A Colômbia vai trazer os US$ 5,3 bilhões de sua linha de crédito com o Fundo Monetário Internacional em ritmo gradual para evitar turbulência nos mercados de câmbio, disse o vice-ministro da Fazenda, Juan Pablo Zárate.

Essa abordagem cautelosa também aumenta as chances de o país obter uma taxa de câmbio mais favorável, disse Zárate em entrevista por vídeo na quinta-feira.

A Colômbia será o primeiro país a recorrer à chamada linha de crédito flexível do FMI, uma fonte pré-aprovada de financiamento que não impõe condições de como deve ser usada.

O governo afirma que usará o dinheiro para financiar sua resposta à pandemia. A Colômbia enfrenta a pior recessão de sua história neste ano, com milhares de pedidos de recuperação judicial e mais de três milhões de empregos perdidos.

A previsão do Ministério da Fazenda é de queda de 5,5% do PIB neste ano. Esse seria o pior desempenho em mais de um século, mas a previsão ainda assim foi criticada pela Fitch Ratings e outros como muito otimista.

Zárate disse que o ministério atualmente revisa suas projeções, bem como sua previsão de recuperação de 6,6% no próximo ano. O peso se desvalorizou 15% neste ano, uma queda maior do que das moedas do Peru e do Chile.

Suavizar o impacto

Com a pandemia, o país suspendeu sua regra fiscal pelos próximos dois anos. Mas, mesmo enquanto o governo aumenta os gastos para tentar suavizar o impacto, está ansioso para continuar tomando empréstimos em níveis administráveis e proteger seu rating de crédito, disse Zárate.

A Colômbia está classificada no segundo nível mais baixo de grau de investimento pela Moody’s Investors Service, enquanto a S&P Global Ratings e a Fitch Ratings classificam o país um degrau acima da categoria junk.

O Ministério da Fazenda tem como meta déficit fiscal de 8,2% do PIB neste ano, com queda para 5,1% em 2021. O governo começará o trabalho de redução do déficit no próximo ano, disse Zárate.

Para financiar o orçamento em 2021, o governo planeja vender ativos que podem incluir participações na petroleira Ecopetrol, na operadora de energia Interconexión Eléctrica e em empresas regionais de geração de eletricidade.

O governo está confiante de que pode levantar fundos equivalentes a mais de 1% do PIB por meio dessas vendas, mas ainda não decidiu qual ativo vai oferecer, disse Zárate.

For more articles like this, please visit us at bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2020 Bloomberg L.P.