Mercado fechado
  • BOVESPA

    120.348,80
    -3.132,20 (-2,54%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.892,28
    -178,62 (-0,39%)
     
  • PETROLEO CRU

    52,04
    -0,32 (-0,61%)
     
  • OURO

    1.827,70
    -2,20 (-0,12%)
     
  • BTC-USD

    36.564,05
    +1.563,39 (+4,47%)
     
  • CMC Crypto 200

    701,93
    -33,21 (-4,52%)
     
  • S&P500

    3.768,25
    -27,29 (-0,72%)
     
  • DOW JONES

    30.814,26
    -177,24 (-0,57%)
     
  • FTSE

    6.735,71
    -66,25 (-0,97%)
     
  • HANG SENG

    28.573,86
    +76,96 (+0,27%)
     
  • NIKKEI

    28.519,18
    -179,12 (-0,62%)
     
  • NASDAQ

    12.759,00
    -43,25 (-0,34%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3954
    +0,0819 (+1,30%)
     

Colégio no Rio de Janeiro cria currículo 100% digital para todo o ano letivo

Rui Maciel
·3 minuto de leitura

Que a pandemia da COVID-19 obrigou as escolas a se reinventarem às pressas, com professores e alunos tendo de se adaptar ao ensino digital, isso não é novidade. E agora, algumas delas resolveram levar esse processo mais a ferro e fogo. Como é o caso do Centro de Ensino Vila Isabel (CEVI), que afirma ser o primeiro colégio do Brasil com ensino 100% digital.

Localizado na cidade de Três Rios, no interior do Rio de Janeiro, a instituição diz que seu objetivo é trazer ao ambiente escolar um mundo totalmente digital, indo no caminho oposto das escolas tradicionais, onde o uso do celular é proibido em sala de aula.

“Caneta, lápis, papel e borracha, ensinam os nativos digitais, da mesma forma que ensinaram seus pais, avós e bisavós", afirmam as professoras Hélida Siqueira e Josibeli Coutinho, que fundaram a escola. "Para o aluno de hoje, aprender com esta metodologia, seria o mesmo que apostar uma corrida de charrete contra um carro superesportivo nos dias atuais. O que deve ser feito é estimular nossos alunos a utilizar essas ferramentas a seu favor”.

Apps e QR Code

Com a tecnologia, as listas de presença, por exemplo, serão realizadas por meio de QR Code. Os pais receberão uma mensagem em tempo real avisando se o filho está ou não presente na aula e todas as provas serão realizadas pelos smartphones. Tudo isso, através de uma plataforma desenvolvida exclusivamente para essa finalidade.

Dessa maneira, toda a aprendizagem do aluno será disponibilizada em um aplicativo, com acesso aos conteúdos dos mais diversos formatos, como, por exemplo, a gamificação. Conhecida como PediGames, essa será uma área de acesso do aluno, onde o mesmo aprenderá seu conteúdo jogando virtualmente. Assim como este, ainda haverá o PediPlay, uma navegação de conteúdo, semelhante à usabilidade do Netflix e o PediCast, sendo um conteúdo feito por Podcast, semelhante ao Spotify.

Investimento em digitalização

A instituição afirma ainda que investirá cerca de R$ 300 mil para ampliar a infraestrutura de TI do colégio. Cerca de R$ 100 mil já foram gastos para o ano de 2021 e esse aporte foi feito a partir de uma parceria realizada entre a startup Pedi Brasil e o CEVI. O valor foi investido na digitalização de todo material didático para um ambiente multimídia, o que inclui apostilas, biblioteca e atividades. A parceria visa ainda investir na compra de televisores, computadores, datashow, kits de ensino para cada professor, entre outros. O objetivo é diminuir a utilização de papel em até dois anos e incentivar o apelo sustentável aos alunos.

A escola afirma ainda que todas essas adaptações são completamente regulares, autorizadas pelo MEC e já entram em vigor no começo de 2021. Para os alunos que não possuem smartphone, a instituição já está providenciando parcerias com lojas especializadas, disponibilizando descontos exclusivos para os estudantes.

“Nossas crianças são nativas da era digital e por algum motivo, ainda utilizam um método de ensino centenário", declararam Siqueira e Coutinho. "Tudo à nossa volta evoluiu tecnologicamente, mas os colégios ficaram estagnados. Precisamos começar essa transformação o quanto antes”.

O CEVI declarou também que enquanto durarem os dias de pandemia, o colégio terá o modelo de ensino online e presencial. No entanto, a partir de agora, os alunos que optarem por ficar em casa poderão interagir em tempo real com os professores, pois a aula será a mesma para ambos os formatos.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: