Mercado fechará em 3 h 24 min
  • BOVESPA

    121.917,11
    +36,29 (+0,03%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.292,63
    +73,37 (+0,15%)
     
  • PETROLEO CRU

    66,24
    +0,87 (+1,33%)
     
  • OURO

    1.867,30
    +29,20 (+1,59%)
     
  • BTC-USD

    43.164,08
    -4.300,95 (-9,06%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.194,89
    -3,03 (-0,25%)
     
  • S&P500

    4.155,53
    -18,32 (-0,44%)
     
  • DOW JONES

    34.286,29
    -95,84 (-0,28%)
     
  • FTSE

    7.032,85
    -10,76 (-0,15%)
     
  • HANG SENG

    28.194,09
    +166,52 (+0,59%)
     
  • NIKKEI

    27.824,83
    -259,67 (-0,92%)
     
  • NASDAQ

    13.249,50
    -137,50 (-1,03%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3945
    -0,0095 (-0,15%)
     

Coinbase estreia na Nasdaq avaliada em quase US$100 bi

Echo Wang
·3 minuto de leitura
Representação de moedas digitais

Por Echo Wang

(Reuters) - A bolsa de criptomoedas Coinbase Global foi avaliada em quase 100 bilhões de dólares em sua estreia na Nasdaq nesta quarta-feira, um movimento que representa outro marco no desenvolvimento do bitcoin e de outros ativos digitais.

A estreia da empresa no mercado de ações, feita por meio de uma listagem direta em que nenhuma ação é vendida antes da abertura, ocorre em meio a um aumento no valor das criptomoedas que tem atraído interesse de grandes investidores institucionais.

A ação da Coinbase abriu a 381 dólares por ação, alta de 52,4% em relação a um preço de referência de 250 dólares. O preço de abertura ficou 10,9% acima do preço médio de 343,58 dólares que as ações estavam sendo negociadas de forma privada no primeiro trimestre de 2021.

A 381 dólares por papel, a Coinbase tem uma avaliação totalmente diluída, que inclui opções de ações não adquiridas e ações restritas, de 99,95 bilhões de dólares e um valor de mercado de 75,9 bilhões de dólares.

Por volta das 15h (horário de Brasília), as ações disparavam 52,2%, a 398 dólares. Na máxima, até o momento, chegaram a 429,54 dólares.

Fundada em 2012, a empresa com sede em São Francisco possui 56 milhões de usuários em todo o mundo e cerca de 223 bilhões de dólares em ativos em sua plataforma, respondendo por 11,3% da participação no mercado de criptomoedas.

"Estamos muito gratos por sermos capazes de trazer transparência para a criptoeconomia, o ecossistema que todos nós temos construído nos últimos 10 anos", disse a vice-presidente financeira da Coinbase, Alesia Haas, em uma entrevista.

"Isso só traz esse nível de reconhecimento de que esta é uma indústria que está aqui, que está crescendo, e que (não está apenas) nas esquinas."

A Coinbase foi avaliada em pouco menos de 6 bilhões de dólares em setembro, mas a cifra cresceu em linha com os ganhos do bitcoin neste ano.

A maior e mais conhecida criptomoeda do mundo atingiu um recorde de 64.895,22 dólares nesta quarta-feira e mais do que dobrou de valor este ano, à medida que bancos e empresas se entusiasmaram com o ativo emergente em um mundo de juros baixos.

Os resultados financeiros mais recentes da Coinbase ressaltam como as receitas aumentaram em sincronia com a recuperação dos volumes e preços de negociação do bitcoin.

No primeiro trimestre do ano, a Coinbase estimou uma receita de mais de 1,8 bilhão de dólares e lucro líquido entre 730 milhões e 800 milhões de dólares, contra uma receita de 1,3 bilhão para todo o ano de 2020.

"A correlação com o bitcoin será muito alta depois que a ação se estabilizar após a listagem", disse Larry Cermak, diretor do site especializado em criptomoedas The Block. "Quando o preço do bitcoin recuar é inevitável que a receita da Coinbase e o preço da ação vai cair também."

(Reportagem adicional de Niket Nishant em Bengaluru e Tom Wilson e Anna Irrera em Londres)