Mercado fechado
  • BOVESPA

    112.316,16
    -1.861,39 (-1,63%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    54.774,91
    -389,10 (-0,71%)
     
  • PETROLEO CRU

    79,38
    -1,63 (-2,01%)
     
  • OURO

    1.943,90
    -2,80 (-0,14%)
     
  • BTC-USD

    23.233,15
    +161,80 (+0,70%)
     
  • CMC Crypto 200

    526,66
    +9,65 (+1,87%)
     
  • S&P500

    4.070,56
    +10,13 (+0,25%)
     
  • DOW JONES

    33.978,08
    +28,67 (+0,08%)
     
  • FTSE

    7.765,15
    +4,04 (+0,05%)
     
  • HANG SENG

    22.688,90
    +122,12 (+0,54%)
     
  • NIKKEI

    27.382,56
    +19,81 (+0,07%)
     
  • NASDAQ

    12.221,00
    +114,25 (+0,94%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5462
    +0,0265 (+0,48%)
     

Cocô de barata vai a leilão por R$ 50 mil; entenda

Barata conseguiu um feito para poucas: comeu poeira lunar
Barata conseguiu um feito para poucas: comeu poeira lunar
  • De brinde casa de leilões dará também a carcaça do inseto;

  • Barata conseguiu um feito para poucas: comeu poeira lunar;

  • Vendedor espera conseguir R$ 2 milhões pelo item.

Nos Estados Unidos está para acontecer um leilão bastante inusitado. Uma amostra de quimo (bolo alimentar parcialmente digerido) de uma barata está sendo leiloado por R$ 50 mil. Obviamente a história não é só isso e deve haver algo de especial nesse cocô. Mas o que?

Bem... pó lunar. O leilão, realizado pela RR Auction, de New Hampshire, está leiloando o cocô de uma barata que comeu pó lugar (o vencedor também irá levar para casa a carcaça de três desses insetos). Mas isso não explica tanto. Na verdade, até confunde ainda mais.

O que aconteceu para uma barata ter comido fragmentos lunares?

Em 1969, com o retorno da missão Apolo 11, a NASA não tinha muita certeza sobre o que poderia estar acompanhando os primeiros astronautas a pisar na Lua. Enquanto a agência sabia que, biologicamente, era impossível haver vida desenvolvida no satélite, ainda havia o risco de haver algum tipo de germe lunar que pudesse causar riscos à saúde humana.

Por conta disso, enquanto Neil Armstrong e Buzz Aldrin ficavam de quarentena por 21 dias em uma instalação construída especialmente para recebê-los, as amostras que eles trouxeram foram postas ao lado de diversos animais para que se averiguasse suas reações.

Peixes, ratos, e baratas foram expostos ao material, chegando inclusive a serem alimentados com ele. Passado um tempo, e sem nenhum animal morrer, biólogos foram chamados para estudar a fundo se algo poderia ter afetado aos animais, dentre eles a entomologista Marion Brooks-Wallace.

Em seus estudos ela não achou nada de diferente nas baratas examinadas e, após seu trabalho, conseguiu de lembrança a carcaça de três desses insetos, além da poeira lunar consumida por eles.

Três anos após sua morte as amostras foram vendidas na Califórnia em leilão por US$ 10 mil, ou R$ 50 mil na cotação atual. Hoje, o conjunto está sendo vendido novamente. Os lances podem ser feitos até 23 de junho, e atualmente já alcançou o preço de US$ 11 mil. A casa de leilões, RR Auction afirmou que espera conseguir US$ 400 mil (ou R$ 2 milhões), com o lote.