Mercado fechado
  • BOVESPA

    115.202,23
    +2.512,05 (+2,23%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    46.342,54
    +338,35 (+0,74%)
     
  • PETROLEO CRU

    66,28
    +2,45 (+3,84%)
     
  • OURO

    1.698,20
    -2,50 (-0,15%)
     
  • BTC-USD

    48.183,45
    +1.003,96 (+2,13%)
     
  • CMC Crypto 200

    982,93
    +39,75 (+4,21%)
     
  • S&P500

    3.841,94
    +73,47 (+1,95%)
     
  • DOW JONES

    31.496,30
    +572,16 (+1,85%)
     
  • FTSE

    6.630,52
    -20,36 (-0,31%)
     
  • HANG SENG

    29.098,29
    -138,50 (-0,47%)
     
  • NIKKEI

    28.864,32
    -65,78 (-0,23%)
     
  • NASDAQ

    12.652,50
    +197,50 (+1,59%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7797
    -0,0062 (-0,09%)
     

Coca-Cola estima crescimento de receita em 2021

·2 minuto de leitura
Coca-Cola estima crescimento de receita em 2021

(Reuters) - A Coca-Cola Co estimou nesta quarta-feira um retorno ao crescimento orgânico da receita este ano após os efeitos da pandemia no desempenho de 2020 e superou as estimativas de Wall Street para o lucro trimestral em cortes agressivos de custos.

A crise de saúde acelerou os esforços da fabricante de refrigerantes para cortar centenas de suas marcas de baixo desempenho e mudar para produtos populares, como águas com gás e refrigerantes sem açúcar, enquanto também influencia uma grande reestruturação que incluiu milhares de cortes de empregos.

"O progresso que fizemos em 2020, incluindo as ações tomadas para acelerar a transformação de nossa empresa, nos dá confiança para retomar o crescimento no ano que vem", disse o presidente-executivo, James Quincey, em um comunicado.

Para 2021, a empresa espera que o lucro ajustado cresça na casa de um dígito alto para dois dígitos baixos e a receita orgânica aumente na casa de um dígito alto.

A receita orgânica caiu 9% no ano passado, conforme restrições relacionadas à pandemia fecharam as portas de canais não varejistas, como restaurantes, cinemas e eventos esportivos, que respondem por mais de um terço das vendas da empresa.

Enquanto isso, a empresa alertou que espera um passivo de cerca de 12 bilhões de dólares relacionado a uma disputa com o Internal Revenue Service (IRS, receita federal nos EUA) sobre quanto cobrou de afiliadas estrangeiras pelos direitos de fabricar e vender produtos da Coca no exterior.

O Tribunal Tributário dos Estados Unidos ficou do lado do IRS em novembro, mas a Coca-Cola disse que "pretende defender vigorosamente sua posição", embora a empresa tenha registrado uma provisão fiscal de 438 milhões de dólares no ano encerrado em 31 de dezembro.

A receita líquida caiu 5%, para 8,60 bilhões de dólares nos três meses encerrados em 31 de dezembro, pouco abaixo das expectativas de 8,63 bilhões de dólares, de acordo com dados IBES da Refinitiv.

Por ação, a empresa sediada em Atlanta teve lucro de 0,47 dólar, 0,05 dólar a mais do que as estimativas.

(Reportagem de Nivedita Balu em Bengaluru)