Mercado fechado
  • BOVESPA

    111.350,91
    +441,30 (+0,40%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.122,61
    +948,55 (+1,89%)
     
  • PETROLEO CRU

    80,65
    +2,45 (+3,13%)
     
  • OURO

    1.781,60
    +17,90 (+1,01%)
     
  • BTC-USD

    17.048,21
    +584,62 (+3,55%)
     
  • CMC Crypto 200

    404,76
    +4,06 (+1,01%)
     
  • S&P500

    4.045,31
    +87,68 (+2,22%)
     
  • DOW JONES

    34.321,72
    +469,19 (+1,39%)
     
  • FTSE

    7.573,05
    +61,05 (+0,81%)
     
  • HANG SENG

    18.597,23
    +392,55 (+2,16%)
     
  • NIKKEI

    27.968,99
    -58,85 (-0,21%)
     
  • NASDAQ

    11.905,00
    +380,25 (+3,30%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,4093
    -0,0473 (-0,87%)
     

CNPE aprova parâmetros para leilão de bloco com pré-sal e fixa bônus de R$1,76 bi

Visão aérea de uma plataforma da Petrobras na Bacia de Campos, a P-52

SÃO PAULO (Reuters) - O Conselho Nacional de Política Energética (CNPE) aprovou nesta quinta-feira parâmetros técnicos e econômicos para a licitação do bloco Ametista, no Sistema de Oferta Permanente da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), sob o regime de Partilha de Produção.

A resolução do CNPE, que ainda precisa ser aprovada pelo presidente Jair Bolsonaro, estabeleceu o valor de 1,76 bilhão de reais para o bônus de assinatura e de 6,01% para o excedente em óleo mínimo para a União.

O bloco está localizado na plataforma continental do Estado de São Paulo e parcialmente dentro do polígono do pré-sal, na Bacia de Santos.

Em dezembro de 2021, o CNPE já havia aprovado a licitação dos blocos de Esmeralda, Sudoeste de Sagitário, Bumerangue, Tupinambá, Cruzeiro do Sul, Ágata, Jade, Itaimbezinho, Água Marinha, Norte de Brava e Turmalina.

"Estima-se que, a depender da manifestação de interesse das empresas, a sessão de ofertas do primeiro ciclo da Oferta Permanente, no Regime de Partilha de Produção, possa ocorrer até o final de 2022", disse o Ministério de Minas e Energia, em nota.

HIDROGÊNIO VERDE

O CNPE ainda aprovou o Programa Nacional do Hidrogênio (PNH2) e sua governança, para desenvolver a economia do combustível renovável.

O programa tem base em três pilares: políticas públicas, tecnologia e mercado.

Após a publicação da resolução, as próximas etapas incluem a organização das reuniões do comitê gestor e das câmaras temáticas, com apresentação de plano de trabalho trienal.

(Por Roberto Samora)