CNI estima crescimento de 0,9% do PIB em 2012

O crescimento da economia brasileira deve ser de apenas 0,9% este ano, segundo projeção divulgada nesta segunda-feira na edição especial do Informe Conjuntural da Economia Brasileira da Confederação Nacional da Indústria (CNI). Para 2013 a projeção é mais otimista, com uma taxa de 4%. De acordo com os números apresentados pela entidade, o resultado do Produto Interno Bruto será bastante influenciado pelo resultado setorial da indústria neste e no próximo ano. Para 2012, a projeção é de uma queda do PIB industrial de 0,6%, mas uma recuperação de 4,1% em 2013.

O consumo das famílias pouco se alterará nos dois períodos. A CNI projeta uma elevação de 3,1% em 2012 e de 3,8% em 2013. Já os investimentos, identificados pela Formação Bruta de Capital Fixo (FBCF) devem mostrar um salto de um ano para o outro, já que a confederação prevê uma queda de 4,5% este ano, mas uma alta de 7% em 2013. A taxa de desemprego também deve ficar equilibrada neste e no próximo ano, passando de 5,5% da população economicamente ativa (PEA) em 2012 para 5,3% em 2013.

Para a CNI, a inflação deve registrar uma alta de 5,5% este ano e repetir o porcentual em 2013. A entidade também prevê manutenção da Selic em 7,25% ao ano ao final de 2012 e de 2013.

De acordo com o Informe, a economia teve um desempenho frustrante em 2012, que já pode ser considerado um "ano perdido". "Desde o final do ano passado, a CNI chama a atenção para o fraco desempenho da economia, particularmente da indústria, e para a necessidade de um crescimento do investimento em equilíbrio com o crescimento do consumo das famílias", apontou o Informe Conjuntural.

A entidade alertou que a concretização de suas estimativas depende da redução dos custos da produção e do aumento da produtividade. "O retorno a um crescimento vigoroso exige um ataque frontal ao problema da competitividade", advertiu a CNI.

"Esse ataque engloba duas vertentes: a pública e a privada. O governo deve concentrar as políticas públicas na melhora da infraestrutura, na redução dos custos sistêmicos e na concessão de um ambiente de estímulo ao investimento. As empresas, em resposta aos menores custos e a um ambiente favorável aos negócios, devem investir em inovação e no aumento da produtividade".

cotações recentes

 
Cotações recentes
Símbolo Preço Variação % Var 
Seus tickers vistos mais recentemente aparecerão aqui automaticamente se você digitou um ticker no campo "Inserir símbolo/empresa" na parte inferior deste módulo.
É necessário permitir os cookies do seu navegador para ver as cotações mais recentes.
 
Entre para ver as cotações nos seus portfólios.

Resumo do Mercado

  • Moedas
    Moedas
    NomePreçoVariação% Variação
    3,2458+0,0018+0,06%
    USDBRL=X
    3,6457+0,0017+0,05%
    EURBRL=X
    0,8899-0,0004-0,04%
    USDEUR=X
  • Commodities
    Commodities
    NomePreçoVariação% Variação

Destaques do Mercado

  • Líderes em Volume
    Líderes em Volume
    NomePreçoVariação% Variação
    13,69-0,31-2,21%
    PETR4.SA
    3,63+0,02+0,55%
    GOAU4.SA
    3,57-0,04-1,11%
    USIM5.SA
    15,33+0,09+0,59%
    VALE5.SA
    10,02+0,52+5,47%
    SUZB5.SA
  • Altas %
    Altas %
    NomePreçoVariação% Variação
    6,00+0,98+19,52%
    SLED3.SA
    34,93+4,93+16,43%
    TWTR34.SA
    19,00+0,90+4,97%
    SNSY5.SA
    4,00+0,31+8,40%
    CEDO4.SA
    69,30+5,30+8,28%
    WPLZ11B.SA
  • Baixas %
    Baixas %
    NomePreçoVariação% Variação
    2,10-0,05-2,33%
    AFLT3.SA
    9,45-0,55-5,50%
    MTSA4.SA
    12,78-0,92-6,72%
    ENEV3.SA
    8,33-0,67-7,44%
    BSEV3.SA
    5,99-0,01-0,17%
    CRPG5.SA