Mercado fechará em 1 h 30 min
  • BOVESPA

    109.581,79
    -558,85 (-0,51%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    53.885,83
    +10,92 (+0,02%)
     
  • PETROLEO CRU

    74,00
    -1,88 (-2,48%)
     
  • OURO

    1.876,90
    -53,90 (-2,79%)
     
  • BTC-USD

    23.580,07
    -257,97 (-1,08%)
     
  • CMC Crypto 200

    539,40
    +2,54 (+0,47%)
     
  • S&P500

    4.174,28
    -5,48 (-0,13%)
     
  • DOW JONES

    34.146,70
    +92,76 (+0,27%)
     
  • FTSE

    7.901,80
    +81,64 (+1,04%)
     
  • HANG SENG

    21.660,47
    -297,89 (-1,36%)
     
  • NIKKEI

    27.509,46
    +107,41 (+0,39%)
     
  • NASDAQ

    12.826,25
    -20,50 (-0,16%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5477
    +0,0580 (+1,06%)
     

Clubes de futebol tentam mediar trégua entre ligas rivais

(Bloomberg) -- Três dos clubes de futebol mais conhecidos do Brasil tentam mediar uma trégua entre ligas rivais que lutam pelo controle do esporte no país.

Botafogo, Cruzeiro e Vasco da Gama trabalham para aproximar os torcedores da Libra e da Liga Forte Futebol do Brasil, segundo pessoas a par do assunto.

No centro da batalha está a criação de uma estrutura de liga que possa manter os principais talentos do futebol brasileiro no país por mais tempo e atrair melhor o investimento estrangeiro por meio da venda de lucrativos direitos de transmissão. Atualmente, Libra e LFF estão propondo diferentes formas de distribuir essa receita aos clubes brasileiros.

A Libra, que quer dar uma fatia maior aos grandes clubes, já conta com o apoio de vários times históricos, como Botafogo, Flamengo e Vasco, do Rio, e do Cruzeiro, de Belo Horizonte. Também tem sido apoiada pelo braço de investimento do fundo soberano de Abu Dhabi, o Mubadala Investment. A LFF, por sua vez, conta com o apoio do Fluminense, do Rio, e com o apoio financeiro do nova-iorquino Serengeti Asset Management.

Representantes da Botafogo, LFF, Libra, Serengeti e Vasco não quiseram comentar, enquanto um porta-voz do Cruzeiro não fez comentários imediatamente.

Ricos em talentos, mas marcados por anos de má gestão financeira, os clubes brasileiros querem aproveitar as novas regras que visam atrair mais dinheiro do exterior. Inspirados pela Premier League inglesa - a divisão de futebol mais rica do mundo - eles estão focados em conseguir isso por meio da venda e distribuição de direitos de mídia.

Botafogo, Cruzeiro e Vasco estão dispostos a ajudar Libra e LFF a chegarem a um acordo e amenizarem as preocupações de alguns clubes menores sobre os critérios de divisão da receita de transmissão, segundo as pessoas. Encontrar um terreno comum tornará o futebol brasileiro mais fácil de vender para investidores externos, disseram eles, pedindo para não serem identificados por discutir informações confidenciais.

Os investidores dos EUA mostraram-se entre os mais interessados em capitalizar o potencial de receita do alcance cada vez mais global do futebol. Nos últimos 18 meses, firmas de investimento dirigidas por financiadores americanos John Textor e Josh Wander adquiriram o Botafogo e o Vasco, respectivamente, enquanto o ex-astro do futebol brasileiro Ronaldo Luis Nazario de Lima assumiu o controle acionário do Cruzeiro.

More stories like this are available on bloomberg.com

©2023 Bloomberg L.P.