Mercado fechado

Clitóris tem muito mais terminações nervosas do que se imaginava, revela estudo

Um novo estudo apresentado em um congresso científico da Sociedade de Medicina Sexual da América do Norte e da Sociedade Internacional de Medicina Sexual trouxe à tona detalhes de como o clitóris é capaz de gerar prazer.

Segundo os autores, as pessoas costumam acreditar que o clitóris tem 8 mil terminações nervosas, mas esse pode ser um número baseado em estudos realizados em bovinos, e não em humanos. Para comprovar isso, a equipe conduziu uma análise e chegou à conclusão de que o órgão conta com nada menos que 10 mil terminações nervosas.

No experimento, os pesquisadores analisaram tecidos de pessoas trans que fizeram faloplastia (cirurgia que cria um novo pênis). Durante o procedimento, os cirurgiões conectam os nervos do clitóris a um nervo sensorial nesse pênis, permitindo que os pacientes ainda tenham prazer.

Os cientistas coletaram tecido contendo um dos dois nervos dorsais que são responsáveis ​​por transportar os sinais elétricos do clitóris ao cérebro para gerar sensações de prazer. Após analisar esses tecidos sob um microscópio, os pesquisadores usaram um software de análise de imagem para contar as terminações nervosas presentes em cada amostra.

Clitóris apresenta mais de 10 mil terminações nervosas, revela estudo (Imagem: Malvestida/Unsplash)
Clitóris apresenta mais de 10 mil terminações nervosas, revela estudo (Imagem: Malvestida/Unsplash)

O número variou de 4.926 a 5.543, com uma média de 5.140, mas como o clitóris contém dois nervos dorsais simétricos, os pesquisadores concluíram que o número total de terminações nervosas é de 10.281, em média.

Ainda, o clitóris contém outros nervos menores, além dos dois nervos dorsais. Assim, é provável que o número real de terminações nervosas seja ainda maior do que o identificado pelos pesquisadores. A estimativa é que essas descobertas podem ajudar a melhorar os resultados dos procedimentos de faloplastia, ajudando os cirurgiões a selecionar melhor as terminações nervosas para se conectar ao pênis.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: