Mercado fechado
  • BOVESPA

    99.605,54
    -1.411,42 (-1,40%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    38.001,31
    -244,55 (-0,64%)
     
  • PETROLEO CRU

    38,74
    -0,83 (-2,10%)
     
  • OURO

    1.906,90
    -5,00 (-0,26%)
     
  • BTC-USD

    13.720,41
    +39,67 (+0,29%)
     
  • CMC Crypto 200

    270,32
    +9,03 (+3,46%)
     
  • S&P500

    3.390,68
    -10,29 (-0,30%)
     
  • DOW JONES

    27.463,19
    -222,19 (-0,80%)
     
  • FTSE

    5.728,99
    -63,02 (-1,09%)
     
  • HANG SENG

    24.787,19
    -131,59 (-0,53%)
     
  • NIKKEI

    23.485,80
    -8,54 (-0,04%)
     
  • NASDAQ

    11.520,25
    -67,75 (-0,58%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7181
    +0,0776 (+1,17%)
     

Cliente entra com carro no rio em test-drive e é condenada a pagar R$ 7 mil a concessionária

Redação Notícias
·2 minutos de leitura
Quando chegou à oficina, o veículo estava sujo, sem funcionar e com a tampa traseira amassada, segundo a concessionária. (Foto: Divulgação/Diego HC / TJMG)
Quando chegou à oficina, o veículo estava sujo, sem funcionar e com a tampa traseira amassada, segundo a concessionária. (Foto: Divulgação/Diego HC / TJMG)

A cliente de uma concessionária de Pouso Alegre, em Minas Gerais, foi condenada pela Justiça a pagar R$ 7 mil à empresa após danificar o veículo durante o test-drive. A concessionária afirma que a motorista pegou a caminhonete e se dirigiu até a cidade de Capitólio (MG), onde o veículo parou de funcionar após passar por um córrego.

A decisão é da 18ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça de Minas Gerais, que determinou o ressarcimento do gasto pela empresa para consertar o veículo. A justificativa da empresa no processo é que a caminhonete apresentou vários danos no motor após a cliente entrar com o carro na água.

Além de molhado, sujo e com a tampa traseira amassada, o veículo não funcionava no momento em que ele chegou à oficina, segundo a loja.

Em primeira instância, a Justiça aceitou o argumento da consumidora de que ela não era responsável pelos danos e pelo ressarcimento das peças trocadas, julgando improcedente o pedido de indenização por parte da concessionária.

Leia também:

No recurso ao TJ-MG, a empresa alegou que, antes de retirar o veículo para test-drive, a cliente assinou um termo de compromisso e responsabilidade. A concessionária também argumentou que a motorista estava ciente de que havia um trajeto definido e que não incluía rios.

O relator do processo, desembargador Sério André da Fonseca Xavier, afirmou que embora a caminhonete seja um veículo para uso nas vias terrestres rural e urbana, a mulher assinou um termo de responsabilidade, obrigando-se a responder pelos danos materiais.

Ainda segundo ele, ao tentar atravessar um rio com o veículo, a motorista não fez uso normal dele e também não teve o cuidado devido com o bem de terceiros, assumindo, com sua atitude imprudente, a responsabilidade pelos danos causados.

A mulher terá que indenizar a concessionária em R$ 7.417,79.