Mercado abrirá em 35 mins
  • BOVESPA

    112.291,59
    +413,06 (+0,37%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    43.934,21
    +259,38 (+0,59%)
     
  • PETROLEO CRU

    46,29
    +0,65 (+1,42%)
     
  • OURO

    1.842,80
    +1,70 (+0,09%)
     
  • BTC-USD

    19.072,03
    -185,55 (-0,96%)
     
  • CMC Crypto 200

    374,63
    +0,22 (+0,06%)
     
  • S&P500

    3.666,72
    -2,29 (-0,06%)
     
  • DOW JONES

    29.969,52
    +85,73 (+0,29%)
     
  • FTSE

    6.548,24
    +57,97 (+0,89%)
     
  • HANG SENG

    26.835,92
    +107,42 (+0,40%)
     
  • NIKKEI

    26.751,24
    -58,13 (-0,22%)
     
  • NASDAQ

    12.510,25
    +48,00 (+0,39%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2484
    +0,0124 (+0,20%)
     

Claudia Leitte lembra "diarreia coletiva" em turnê

Bárbara Saryne
·1 minuto de leitura
A cantora relembrou o início da carreira (Foto: Reprodução/Instagram/@claudialeitte)
A cantora relembrou o início da carreira (Foto: Reprodução/Instagram/@claudialeitte)

Claudia Leitte voltou no tempo para revelar perrengues do início da carreira no ‘Que História é Essa, Porchat?’. A cantora de axé disse que chegou a fazer 50 shows em sua primeira turnê como vocalista do Babado Novo. A falta de espaço no ônibus da banda, inclusive, foi um grande problema quando todos tiveram diarreia ao mesmo tempo.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Google News

O desconforto aconteceu depois de um show no Maranhão. O grupo, passando mal, precisou encarar 48 horas de viagem para voltar para casa. “A gente teve diarreia coletiva. A gente combinou que todo mundo que ia ao banheiro tinha que fazer tudo num saco, amarrava e depois descarregava num posto (de gasolina)", diz a cantora, que teve a sensação que a Bahia ficou ainda mais distante.

Leia também

Naquela época, o grupo recebia cerca de R$ 100 por show. Os integrantes ainda precisavam dividir a grana. Segundo Claudinha, muitas apresentações eram feitas em praças e nem sempre contavam com plateia. Um dos shows, por exemplo, ficou marcante para a artista. "Um cara morreu no meio de um show, estava sentadinho na praça, costume de interior", diz ela.

Assine agora a newsletter Yahoo em 3 Minutos

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube