Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.095,53
    +537,86 (+0,50%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.056,27
    +137,99 (+0,27%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,66
    +0,61 (+0,85%)
     
  • OURO

    1.783,90
    -0,80 (-0,04%)
     
  • BTC-USD

    50.705,50
    -23,48 (-0,05%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.321,95
    +16,83 (+1,29%)
     
  • S&P500

    4.701,21
    +14,46 (+0,31%)
     
  • DOW JONES

    35.754,75
    +35,32 (+0,10%)
     
  • FTSE

    7.337,05
    -2,85 (-0,04%)
     
  • HANG SENG

    23.996,87
    +13,21 (+0,06%)
     
  • NIKKEI

    28.860,62
    +405,02 (+1,42%)
     
  • NASDAQ

    16.381,75
    +63,75 (+0,39%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2827
    -0,0570 (-0,90%)
     

Clássico tocador de músicas, Winamp pode retornar como um serviço de streaming

·2 min de leitura

O aplicativo Winamp passará por mais uma grande reformulação em breve. O site do reprodutor de músicas prepara uma versão “para a nova geração” e, aparentemente, será bem diferente do projeto original que o popularizou no final dos anos 1990 e início dos anos 2000.

A Radionomy, atual detentora do software, tenta novamente emplacar o Winamp no mercado musical, mas os contornos do novo programa ainda não são claros. O novo aplicativo, além de moderno, parece ter uma proposta diferente, mais próxima de um serviço de streaming completo do que um reprodutor de arquivos locais.

Winamp pode se tornar um serviço de streaming concorrente do <a class="link rapid-noclick-resp" href="https://canaltech.com.br/empresa/spotify-ltd/" rel="nofollow noopener" target="_blank" data-ylk="slk:Spotify">Spotify</a> (Imagem: Reprodução/Radionomy)
Winamp pode se tornar um serviço de streaming concorrente do Spotify (Imagem: Reprodução/Radionomy)

O que levanta a suspeita desse novo modelo é especialmente a relação do aplicativo com criadores de conteúdo. A plataforma ajudará artistas a manter a conexão com os fãs e garantir “ganhos justos” no processo, característica que só faz sentido se ele pretende se tornar um concorrente no segmento de streaming, ao lado de programas como Spotify, Tidal, Deezer e Apple Music.

Por enquanto, as informações quanto ao novo Winamp são escassas, então resta apenas esperar por mais detalhes sobre o software. Atualmente, qualquer usuário pode se candidatar para testar a versão beta do programa, mas ainda não há datas ou previsão para o período de testes.

As idas e voltas do Winamp

Lançado em 1997, o Winamp rapidamente se tornou popular no segmento musical — em pouco tempo, o aplicativo registrou mais de 3 milhões de downloads. As atualizações posteriores mantiveram o sucesso dele até 2002, quando uma das compilações não foi bem recebida pela comunidade. Ao longo do tempo, o programa foi perdendo espaço para outras soluções e, em 2013, teve seu suporte encerrado.

Em 2014, no entanto, os direitos foram adquiridos pela Radionomy que lançou apenas uma atualização desde então. Em outubro de 2018, o Winamp voltou às manchetes com o lançamento da versão 5.8 para Windows 10. O programa preservava o DNA original do programa, mas aprimorado: ele se tornou um hub de gerenciamento para todos os arquivos de áudio, tanto as faixas salvas no PC quanto aquelas gerenciadas por serviços de streaming — a ideia, infelizmente, não vingou.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos