Mercado fechado

Clássico IBM 1401 de 1959 ganha homenagem fiel em miniatura

Claudio Yuge

O IBM 1401 comemorou seus 60 anos no ano passado e é muito celebrado até hoje porque foi um marco na computação, ao ser um dos primeiros a ser produzido em massa. Para a época, era relativamente acessível e chegou a vender mais de 12 mil unidades, especialmente para empresas nos Estados Unidos. E sua estrutura era tão moderna quando foi lançada que sobreviveu até o início da era dos computadores pessoais, nos anos 1980.

Toda essa importância inspirou o diretor técnico de um pequeno estúdio de animação em Montreal, no Canadá, a criar uma grande — ou menor, uma minúscula — homenagem ao IBM 1401: Nicolas Temese passou horas modelando uma réplica em miniatura muito fiel a um escritório com um monstro desses.

Escritório com o IBM 1401 nos anos 1960 (Reprodução/Computer History Museum)

O modelo de Temese mostra os vários componentes do data center IBM 1401. Na imagem abaixo, vemos o leitor de cartões perfurados à esquerda, com duas unidades de fita — essas unidades eram utilizadas para gravação, armazenamento e leitura de dados. Ao lado, as duas “estantes” eram onde os cientistas consultavam as informações e as fitas. No cantinho direito, é possível ver a impressora, que era um verdadeiro trambolho; e ao centro, sobre a mesa, ficava o teclado com a central de processamento conhecida atualmente como CPU.


Temese disse que começou a trabalhar na réplica no final de dezembro de 2019, apenas à noite. "Eu tenho um emprego diário, então apenas algumas horas por semana", disse Temese. Ele começou a postar fotos do projeto no Instagram há meses atrás, e, claro, começou a chamar a atenção dos entusiastas em tecnologia, especialmente os mais nostálgicos. Todos os layouts foram construídos do zero e tudo foi praticamente feito à mão, com corte e montagem de folhas de poliestierno. "Gosto da impressão 3D, mas gosto de fazer esses objetos manualmente para capturar a textura e a sensação", explicou Temese.

Essa foto mostra melhor a escala do modelo (Reprodução/Nicolas Temese)

A fidelidade de sua criação é tão grande que o Museu de História da Computação em Mountain View, Califórnia, onde fica o Google, entrou em contato, perguntando se Temese estaria disposto a doar o modelo — o local possui uma cópia do mesmo sistema em tamanho real. Ele parece já ter concordado: “Vai se sentir em casa por lá”, afirmou ao Business Insider.

E Temese não deve parar por aí: ele já teria ideias para adaptar outros computadores antigos e até mesmo pensa em se aprofundar em encomendas de miniaturas.

Fonte: Canaltech