Mercado fechado
  • BOVESPA

    102.224,26
    -3.586,99 (-3,39%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.492,52
    -1.132,48 (-2,24%)
     
  • PETROLEO CRU

    68,15
    -10,24 (-13,06%)
     
  • OURO

    1.785,50
    +1,20 (+0,07%)
     
  • BTC-USD

    54.314,39
    -4.445,29 (-7,57%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.365,60
    -89,82 (-6,17%)
     
  • S&P500

    4.594,62
    -106,84 (-2,27%)
     
  • DOW JONES

    34.899,34
    -905,04 (-2,53%)
     
  • FTSE

    7.044,03
    -266,34 (-3,64%)
     
  • HANG SENG

    24.080,52
    -659,64 (-2,67%)
     
  • NIKKEI

    28.751,62
    -747,66 (-2,53%)
     
  • NASDAQ

    16.051,00
    -315,00 (-1,92%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3485
    +0,1103 (+1,77%)
     

Citroën promete três carros novos no Brasil e detalha planos de crescimento

·3 min de leitura

Depois que começou a fazer parte do grupo Stellantis, a Citroen parece ter arregaçado as mangas e já promete uma série de mudanças e metas para o mercado sul-americano e brasileiro. A montadora francesa, que já anunciou a chegada da nova geração do compacto C3, confirmou, por exemplo, que mais dois modelos devem ser lançados nessas praças pelos próximos anos, além de iniciar o processo de eletrificação de sua frota.

Todas essas metas de vendas e reposicionamento de marca foram coligadas com o programa Citroen 4 All, que engloba várias mudanças no modo como a montadora trabalhará no mercado sul-americano. A ideia da marca é de se colocar como uma empresa "cool", mais jovial do que sua irmã Peugeot, com foco em produtos modernos, conectados e que estejam alinhados com metas ambientais e, ao mesmo tempo, descoladas, justamente como foi mostrado com o vindouro Citroen C3.

Em termos de números, as metas da Citroen são audaciosas — mas possíveis. Segundo a empresa, o plano é de conquistar 4% do mercado brasileiro (quatro vezes mais do que é hoje), duplicar sua participação de mercado na Argentina, chegando a 7%, superar os 3% de participação no Chile e crescer em ofertas de produtos e volume de vendas também em todos os países em que a Citroen está presente. No geral, a expectativa dos franceses é de terem 4% da fatia na América do Sul.

Além disso, a Citroen deve expandir sua rede de concessionários, importante para o crescimento estimado no continente. Somente no Brasil, por exemplo, é esperada uma expansão de quase 50% até meados de 2022, passando dos atuais 123 pontos de vendas para 175. Um desempenho que pode garantir cerca de 80% de capilaridade para a marca no país.

(Imagem: Divulgação/Stellantis)
(Imagem: Divulgação/Stellantis)

"A Citroen é uma marca histórica, que sempre se diferenciou por inovação e proximidade com o seu consumidor. As perspectivas são claramente de crescimento: a Citroën vai retomar o lugar que ela sempre mereceu no mercado brasileiro e nos demais mercados da América Latina. Estamos absolutamente confiantes com a estratégia de crescimento fundamentada nos valores da marca e nos fantásticos produtos que vamos trazer para os mercados da América Latina", comenta Antônio Filosa, COO da Stellantis na América Latina, em comunicado.

Sobre a eletrificação, a Citroen resolveu iniciar sua participação no mercado com um veículo de trabalho, o Ë-Jumpy, uma van para passageiros 100% elétrica e que deve chegar ainda em 2021 ao país. A montadora, porém, garante que pode trazer modelos de passeio e que sejam zero emissão. Por enquanto, dentro da dupla Citroen-Peugeot, apenas o Peugeot e-208 GT está disponível no Brasil.

Palpite do Canaltech

Depois de anunciar a nova geração do C3 como um compacto com características de SUV, a montadora francesa deve apostar na ampliação de sua oferta de utilitários para se posicionar no mercado brasileiro e sul-americano. Para tal, os dois próximos carros da marca podem ser dois SUVs, sendo que um deles a nova geração do ótimo Citroën C4 Cactus.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos