Mercado fechará em 39 mins
  • BOVESPA

    109.064,48
    -37,52 (-0,03%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.435,33
    -1.073,02 (-2,04%)
     
  • PETROLEO CRU

    84,79
    -0,76 (-0,89%)
     
  • OURO

    1.832,80
    -9,80 (-0,53%)
     
  • BTC-USD

    38.513,82
    -4.475,42 (-10,41%)
     
  • CMC Crypto 200

    905,97
    +663,29 (+273,32%)
     
  • S&P500

    4.438,73
    -44,00 (-0,98%)
     
  • DOW JONES

    34.513,66
    -201,73 (-0,58%)
     
  • FTSE

    7.494,13
    -90,88 (-1,20%)
     
  • HANG SENG

    24.965,55
    +13,20 (+0,05%)
     
  • NIKKEI

    27.522,26
    -250,67 (-0,90%)
     
  • NASDAQ

    14.668,00
    -173,00 (-1,17%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1810
    +0,0509 (+0,83%)
     

Citigroup vai exigir vacinação de empregados a partir de 14 de janeiro, diz fonte

·2 min de leitura

Por Niket Nishant e David Henry e Tom Hals e Michelle Price

(Reuters) - O Citigroup exigirá vacinação de seus empregados a partir de 14 de janeiro, de acordo com uma fonte familiarizada com o assunto, tornando-se a primeira grande instituição de Wall Street a implementar imunização obrigatória contra Covid-19.

Outros grandes bancos de Wall Street, incluindo Goldman Sachs, Morgan Stanley e JPMorgan, estão dizendo aos funcionários não vacinados para trabalhar em casa, mas ainda não chegaram a indicar que podem demiti-los.

Embora o Citigroup seja o primeiro banco a impor um mandato de vacina, um punhado de outras grandes empresas dos EUA introduziram políticas de imunização, incluindo Google e United Airlines, com variados graus de rigor.

O Citigroup disse em outubro que exigiria que os empregados dos EUA fossem vacinados como condição para seguirem empregados, mas não disse quando começaria a aplicar a nova política.

O banco disse na época que estava cumprindo a política do governo Joe Biden, exigindo que todos os trabalhadores que apoiavam contratos governamentais fossem totalmente vacinados, já que o governo continua sendo um grande e importante cliente.

O Citigroup avaliará as isenções por motivos religiosos ou médicos, ou qualquer outra acomodação por lei estadual ou local, caso a caso, disse o banco na época.

A fonte disse que o banco começará a aplicar essa política a partir de 14 de janeiro, mas não forneceu mais detalhes.

A Bloomberg relatou pela primeira vez o prazo final de 14 de janeiro do Citigroup. O Citigroup colocará os trabalhadores que não cumprirem até então em licença sem vencimento, com o último dia de trabalho no final do mês, informou a reportagem.

Mais de 90% dos funcionários do Citigroup até agora cumpriram o mandato e esse número está aumentando rapidamente, informou a Bloomberg, citando uma porta-voz do Citigroup.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos