Mercado fechado
  • BOVESPA

    112.764,26
    +3.046,32 (+2,78%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.853,37
    +392,82 (+0,81%)
     
  • PETROLEO CRU

    91,88
    -2,46 (-2,61%)
     
  • OURO

    1.818,90
    +11,70 (+0,65%)
     
  • BTC-USD

    24.542,04
    +704,79 (+2,96%)
     
  • CMC Crypto 200

    574,64
    +3,36 (+0,59%)
     
  • S&P500

    4.280,15
    +72,88 (+1,73%)
     
  • DOW JONES

    33.761,05
    +424,38 (+1,27%)
     
  • FTSE

    7.500,89
    +34,98 (+0,47%)
     
  • HANG SENG

    20.175,62
    +93,19 (+0,46%)
     
  • NIKKEI

    28.546,98
    +727,65 (+2,62%)
     
  • NASDAQ

    13.580,00
    +268,75 (+2,02%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2024
    -0,1213 (-2,28%)
     

Citi sairá do México como parte de reformulação estratégica

·2 min de leitura
Escritório central do Citibanamex, em Cidade do México, México

Por David Henry e David French e Noel Randewich

NOVA YORK (Reuters) - O Citigroup deixará seu negócio de banco de consumo Citibanamex no México, disse o banco na terça-feira encerrando sua presença de 20 anos no país, que era o último de seus negócios de consumo no exterior.

A decisão do Citigroup de vender ou desmembrar o Citibanamex, terceiro maior banco do México em ativos a partir de junho, faz parte da estratégia da presidente-executiva Jane Fraser de alinhar a lucratividade e o desempenho do preço das ações do Citigroup com seus pares.

Depois de assumir o cargo no ano passado, Fraser prometeu simplificar o Citigroup ao sair de negócios não essenciais, incluindo franquias de consumo em 13 mercados na Ásia, Europa, Oriente Médio e África. Embora a saída mexicana do Citigroup não faça parte do plano anunciado, é consistente com essa "renovação de estratégia", disse Fraser na terça-feira.

O Citigroup manterá seus negócios de clientes institucionais no México, assim como em outros mercados no exterior. O grupo focará seus negócios bancários de consumo em uma presença direcionada no varejo dos Estados Unidos, gestão global de patrimônio e pagamentos e empréstimos, disse.

O bilionário mexicano Ricardo Salinas Pliego, que é classificado como o terceiro homem mais rico do país com uma fortuna familiar estimada em mais de 15 bilhões de dólares pela Forbes, disse que está analisando se é possível adquirir o Citibanamex.

Outros possíveis compradores para o Citibanamex podem vir do Canadá, onde os seis grandes bancos têm dinheiro em excesso para gastar em negócios. O Banco da Nova Scotia já tem um negócio considerável no México.

Os braços locais do Banco Santander e BBVA também teriam recursos, enquanto as instituições mexicanas Banorte e Inbursa poderiam usar uma aquisição das operações do Citi para desafiar essa dupla.

As ações do Citigroup subiram até 1% nas negociações pós-mercado.

O banco não estimou o custo de sair do negócio ou o que poderia receber em uma venda.

Os negócios de consumo do México forneceram cerca de 3,5 bilhões de dólares em receita nos três primeiros trimestres de 2021 e 1,2 bilhão de dólares em lucros antes de impostos, disse o Citigroup. Estão incluídos 44 bilhões de dólares dos 2,36 trilhões de dólares de ativos totais do Citigroup.

O Citigroup disse que o momento da saída está sujeito a aprovações regulatórias nos Estados Unidos e no México.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos