Mercado abrirá em 5 h 49 min
  • BOVESPA

    113.707,76
    +195,76 (+0,17%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.734,04
    -67,64 (-0,14%)
     
  • PETROLEO CRU

    87,73
    -0,38 (-0,43%)
     
  • OURO

    1.775,50
    -1,20 (-0,07%)
     
  • BTC-USD

    23.375,85
    -988,40 (-4,06%)
     
  • CMC Crypto 200

    556,44
    -16,38 (-2,86%)
     
  • S&P500

    4.274,04
    -31,16 (-0,72%)
     
  • DOW JONES

    33.980,32
    -171,68 (-0,50%)
     
  • FTSE

    7.515,75
    0,00 (0,00%)
     
  • HANG SENG

    19.722,28
    -200,17 (-1,00%)
     
  • NIKKEI

    28.942,14
    -280,63 (-0,96%)
     
  • NASDAQ

    13.426,50
    -66,75 (-0,49%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2473
    -0,0119 (-0,23%)
     

Citi melhora projeção para PIB de 2022, mas vê crescimento mais baixo e Selic mais alta em 2023

Fábrica de alumínio em Pindamonhangaba

Por Luana Maria Benedito

SÃO PAULO (Reuters) - O Citi melhorou seu prognóstico para o crescimento econômico do Brasil neste ano, mas reduziu sua previsão para 2023, esperando que a deterioração do cenário inflacionário de médio prazo force o Banco Central a elevar a taxa básica de juros a patamar mais alto do que o estimado em cenário anterior.

Agora, o credor norte-americano espera que o Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil cresça 2,0% em 2022, de taxa de 1,4% esperada antes, na esteira de várias surpresas positivas em indicadores da atividade econômica até agora neste ano.

Para 2023, no entanto, o Citi passou a estimar expansão de apenas 0,3%, contra previsão anterior de crescimento de 0,7%.

"Os ventos contrários para a atividade econômica no próximo ano são crescentes, dada a necessidade de política monetária mais restritiva, o fim dos estímulos fiscais e a desaceleração global", afirmou o banco em relatório com data desta terça-feira.

O banco manteve estimativa de que a Selic encerrará este ano em 13,75%, ante atuais 13,25%, mas passou a ver o juro básico em 10,50% ao final de 2023, contra taxa de 9,50% esperada anteriormente.

Segundo o Citi, esse cenário se justifica porque, embora iniciativas recentes de redução de impostos do governo estejam reduzindo alguns preços-chave no curto prazo, as perspectivas de inflação de médio prazo se deterioraram ainda mais, já que as medidas de alívio são temporárias.

Ainda assim, o banco norte-americano manteve projeção de que o IPCA avançará 4,5% no ano que vem, enquanto a estimativa para o avanço dos preços ao consumidor neste ano foi cortada a taxa de 7,7%, contra 8,0% em seu último cenário.

Na esteira da aprovação pelo Congresso de medidas para ampliar e criar novos benefícios sociais, o Citi alertou para intensificação da deterioração das contas públicas daqui para frente, dada a combinação de juros reais mais altos, crescimento muito menor e normalização da arrecadação.

"Ao todo, projetamos a dívida pública bruta em 83,4% do PIB até o final de 2023", disse o banco.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos