Mercado fechado
  • BOVESPA

    129.441,03
    -635,14 (-0,49%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.286,46
    +400,13 (+0,79%)
     
  • PETROLEO CRU

    70,78
    +0,49 (+0,70%)
     
  • OURO

    1.879,50
    -16,90 (-0,89%)
     
  • BTC-USD

    35.696,06
    -352,49 (-0,98%)
     
  • CMC Crypto 200

    924,19
    -17,62 (-1,87%)
     
  • S&P500

    4.247,44
    +8,26 (+0,19%)
     
  • DOW JONES

    34.479,60
    +13,36 (+0,04%)
     
  • FTSE

    7.134,06
    +45,88 (+0,65%)
     
  • HANG SENG

    28.842,13
    +103,25 (+0,36%)
     
  • NIKKEI

    28.948,73
    -9,83 (-0,03%)
     
  • NASDAQ

    13.992,75
    +33,00 (+0,24%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1926
    +0,0391 (+0,64%)
     

Citi e Trafigura miram veículo de mineração para saída do carvão

·2 minuto de leitura

(Bloomberg) -- O Citigroup tem sondado investidores para um novo veículo de mineração de carvão que, segundo o banco, pode ajudar a limitar as consequências indesejadas de grandes produtores que buscam sair do negócio.

As maiores mineradoras do mundo estão sob pressão de investidores para suspender a produção de carvão térmico, o combustível mais poluente, mas enfrentam um dilema sobre o que fazer com seus ativos. As minas ainda continuarão produzindo sob novos proprietários, limitando qualquer benefício real para o meio ambiente, e há o risco de que o comprador enfrente menos escrutínio ambiental e social do que grandes empresas listadas.

O Citi tem se reunido com grandes investidores institucionais em Londres para lançar a ideia, chamada de “Coal to Zero”, ou carvão ao zero, de acordo com pessoas com conhecimento do assunto e documentos vistos pela Bloomberg News. A Trafigura, uma das maiores tradings de commodities do mundo, e a Resource Capital Funds, apoiam o projeto. O conceito ainda está nos estágios iniciais, disseram as pessoas.

Segundo os documentos vistos pela Bloomberg, o veículo planeja comprar as melhores minas em jurisdições de mineração seguras. O objetivo é administrá-lo com fins lucrativos, mas com o compromisso de fechar as operações antes de 2045. O documento diz que o veículo não vai aumentar ou estender a produção das minas. Em troca, os investidores receberão dividendos anuais que representam quase todo o lucro da empresa. Uma porcentagem será alocada para um fundo para beneficiar as comunidades locais.

Para cientistas climáticos, operar carvão nesse prazo ainda seria muito tempo, pois o combustível deve ser retirado da matriz energética muito antes de atingir as metas climáticas.

O Citi tem falado abertamente sobre seus esforços para mitigar os efeitos da mudança climática e recentemente destacou sua decisão de parar de financiar a mineração de carvão. O banco disse no ano passado que deixará de oferecer serviços financeiros a mineradoras de carvão térmico nos próximos 10 anos e que planeja eliminar totalmente sua exposição de crédito até 2030.

“O Citi está discutindo um veículo de investimento com um grupo de patrocinadores que facilitará uma transição ordenada no setor de mineração de carvão”, disse o banco em comunicado. O carvão ao zero “tem como objetivo implantar capital privado para apoiar uma saída ordenada do carvão de uma forma que seja justa para as pessoas e comunidades afetadas. Ao fazê-lo, pretende gerar um impacto ambiental e social positivo e mensurável, juntamente com um retorno financeiro para os investidores.”

Um porta-voz da Trafigura em Genebra não quis comentar. O Resource Capital Funds, um fundo de private equity com foco em mineração, não respondeu de imediato a um pedido de comentário por e-mail.

For more articles like this, please visit us at bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2021 Bloomberg L.P.