Mercado abrirá em 9 h 18 min
  • BOVESPA

    112.486,01
    +1.576,40 (+1,42%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.684,86
    +1.510,80 (+3,01%)
     
  • PETROLEO CRU

    80,49
    -0,06 (-0,07%)
     
  • OURO

    1.788,20
    +28,30 (+1,61%)
     
  • BTC-USD

    17.109,96
    +106,81 (+0,63%)
     
  • CMC Crypto 200

    405,56
    +4,86 (+1,21%)
     
  • S&P500

    4.080,11
    +122,48 (+3,09%)
     
  • DOW JONES

    34.589,77
    +737,24 (+2,18%)
     
  • FTSE

    7.573,05
    +61,05 (+0,81%)
     
  • HANG SENG

    18.920,18
    +322,95 (+1,74%)
     
  • NIKKEI

    28.264,33
    +295,34 (+1,06%)
     
  • NASDAQ

    12.039,25
    -3,00 (-0,02%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,3965
    0,0000 (0,00%)
     

Cirurgião britânico é o primeiro astronauta do mundo com deficiência

Cirurgião britânico é o primeiro astronauta do mundo com deficiência do mundo (AP Photo/Francois Mori)
Cirurgião britânico é o primeiro astronauta do mundo com deficiência do mundo (AP Photo/Francois Mori)
  • John McFall, cuja perna direita foi amputada aos 19 anos, é o primeiro recruta para um novo programa da Agência Espacial Europeia;

  • O programa investigará as mudanças e os custos necessários para enviar astronautas com deficiência ao espaço;

  • A ESA escolheu McFall entre 257 participantes e o descreve como o primeiro “parastronauta” do mundo.

Na quarta-feira (23), a Agência Espacial Europeia comunicou que selecionou o primeiro astronauta do mundo com deficiência. John McFall, cuja perna direita foi amputada aos 19 anos, é o primeiro recruta para um novo programa que investiga acomodações para astronautas com deficiência.

A agência convocou inscrições em março de 2021, buscando pessoas com deficiência que pudessem passar por testes físicos e psicológicos rigorosos, mas eram limitadas pela falta de acomodações. O programa investigará as mudanças e os custos necessários para enviar astronautas com deficiência ao espaço. A ESA escolheu McFall entre 257 participantes e o descreve como o primeiro “parastronauta” do mundo. E no segundo trimestre de 2023, ele entrará no programa de treinamento de 12 meses no Centro Europeu de Astronautas em Colônia, Alemanha.

“Sempre me interessei muito pela ciência em geral, e a exploração espacial sempre esteve no meu radar”, disse McFall, de 41 anos, na quarta-feira. “Mas (após) ter sofrido um acidente de moto aos 19 anos, como querer entrar para as forças armadas? Ter uma deficiência sempre foi uma contra-indicação para fazer isso.”

Após o acidente e a amputação de McFall, ele aprendeu a correr novamente e conquistou a medalha de bronze nos 100 metros rasos nos Jogos Paraolímpicos de 2008. Além disso, ele obteve vários diplomas médicos e foi um Foundation Doctor no British National Health Service de 2014 a 2016. McFall atualmente trabalha como especialista em trauma e ortopedia no sul da Inglaterra.

O cirurgião britânico também conta o que o levou a se candidatar no processo seletivo realizado pela Agência Espacial Europeia.

“No início de 2021, quando o anúncio de um astronauta com deficiência física foi lançado”, disse McFall, “li as especificações da pessoa e o que isso implicava e pensei: 'Uau, esta é uma oportunidade enorme e interessante.' E pensei que seria um candidato muito bom para ajudar a ESA a responder à pergunta que faziam: 'Podemos levar alguém com deficiência física para o espaço?' E me senti compelido a me candidatar.”