Mercado fechado
  • BOVESPA

    121.113,93
    +413,26 (+0,34%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.726,98
    +212,88 (+0,44%)
     
  • PETROLEO CRU

    63,07
    -0,39 (-0,61%)
     
  • OURO

    1.777,30
    +10,50 (+0,59%)
     
  • BTC-USD

    55.446,30
    -5.443,70 (-8,94%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.398,97
    +7,26 (+0,52%)
     
  • S&P500

    4.185,47
    +15,05 (+0,36%)
     
  • DOW JONES

    34.200,67
    +164,68 (+0,48%)
     
  • FTSE

    7.019,53
    +36,03 (+0,52%)
     
  • HANG SENG

    28.969,71
    +176,57 (+0,61%)
     
  • NIKKEI

    29.683,37
    +40,67 (+0,14%)
     
  • NASDAQ

    14.024,00
    +10,00 (+0,07%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6943
    -0,0268 (-0,40%)
     

Cineasta promove oficinas para alunos da rede pública

Jacqueline Costa
·1 minuto de leitura

RIO — Estudantes de escolas públicas de todo o país serão instigados a mostrar a experiência do recolhimento imposto pela pandemia por meio do projeto Imagens em Movimento. Concebida há 11 anos pela cineasta Ana Dillon numa pesquisa de mestrado para a Universidade Paris III, na França, a iniciativa proporcionará oficinas de cinema para crianças e adolescentes com idades entre 9 e 16 anos. Desta vez, de forma virtual.

— Na falta dos encontros presenciais na escola e das brincadeiras na rua, é fundamental que as crianças e adolescentes possam compreender que os mecanismos de produção e reprodução de imagens podem também ser utilizados por eles como ferramenta de criação e de reflexão sobre o mundo. Uma linguagem que está ao seu alcance - não só enquanto consumidores, mas também como criadores — diz Ana.

A oficina de cinema on-line resultará na produção de documentários experimentais de curta-metragem a serem realizados pelos alunos em casa, com aparelhos celulares, partindo de uma abordagem autobiográfica. Estes vídeos serão exibidos posteriormente no site do Programa Imagens em Movimento.

São três oficinas on-line para estudantes: Cinema e Audiovisual, Sensibilização Musical e Consciência Corporal. Para professores, será oferecido um curso de formação em Pedagogia do Audiovisual e Artes Integradas.

— Enquanto precisarmos nos isolar, seguiremos inventando formas de utilizar as ferramentas virtuais para promover a criatividade acumulada em tantos corpos confinados dentro de casa — diz Ana, moradora do Jardim Botânico.

Inscrições gratuitas, até o dia 4 de março, pelo site www.img-mov.com.br.

SIGA O GLOBO-BAIRROS NO TWITTER (OGlobo_Bairros)