Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.955,63
    -21,07 (-0,02%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.164,89
    -503,75 (-0,97%)
     
  • PETROLEO CRU

    76,95
    +0,67 (+0,88%)
     
  • OURO

    1.740,30
    -13,70 (-0,78%)
     
  • BTC-USD

    16.242,78
    -319,62 (-1,93%)
     
  • CMC Crypto 200

    380,97
    +0,67 (+0,18%)
     
  • S&P500

    3.963,13
    -62,99 (-1,56%)
     
  • DOW JONES

    33.845,28
    -501,75 (-1,46%)
     
  • FTSE

    7.474,02
    -12,65 (-0,17%)
     
  • HANG SENG

    17.297,94
    -275,64 (-1,57%)
     
  • NIKKEI

    28.162,83
    -120,20 (-0,42%)
     
  • NASDAQ

    11.591,25
    -191,50 (-1,63%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5454
    -0,0790 (-1,40%)
     

Cineasta critica patrocínio de Budweiser a Neymar após jogador apoiar Bolsonaro

***FOTO DE ARQUIVO*** SÃO PAULO, SP, 24.10.2019 - Fernando Grostein (cineasta). (Foto: Mathilde Missioneiro/Folhapress)
***FOTO DE ARQUIVO*** SÃO PAULO, SP, 24.10.2019 - Fernando Grostein (cineasta). (Foto: Mathilde Missioneiro/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Fernando Grostein Andrade questionou a Ambev nas redes sociais por manter o patrocínio da Budweiser a Neymar depois que o jogador declarou apoio a Bolsonaro na eleição.

Andrade, que é cineasta e lançou recentemente o documentário "Quebrando Mitos", sobre o presidente, publicou uma mensagem na internet nesta quarta (5) pedindo coerência da marca em relação à responsabilidade social.

"Bolsonaro tem uma série de falas e ações homofóbicas e outras contra a preservação da Amazônia. Bolsonaro tem evidências de ligação com milícia. Com quem explora a fé alheia para ganhar dinheiro", escreveu.

O cineasta afirma que já foi contratado pela Ambev para fazer vídeos sobre o trabalho social da empresa, que também fabrica outras cervejas, como Skol e Brahma.

"O que adianta aparência sem essência? Que tal coerência? Quantos votos Neymar não puxou para Bolsonaro? Cadê a responsabilidade, em especial de uma empresa que lucra com álcool, que em muitos casos pode ser ligado a violência e alcoolismo? O que adianta dar bolsa de estudos aos jovens com uma mão e contribuir de forma indireta com quem apresenta armas como solução da violência a periferia", escreveu Andrade.

Procurada pela coluna Painel S.A., a Ambev diz que apoia a democracia e tem parceiros com visões diferentes. "Em nosso ecossistema, temos diversos parceiros e parceiras com visões diferentes e respeitamos os múltiplos pontos de vista. Acima de tudo, apoiamos a democracia. O diálogo, a liberdade e a pluralidade são valores em que acreditamos e fomentamos", afirmou a empresa em nota.

Neste domingo (2), ao sair para votar, Grostein Andrade, que está no exterior, disse ter recebido ameaça de morte de uma pessoa que vestia uma camiseta com o trocadilho "Cuscuz Clã", em referência ao movimento racista norte-americano KKK.