Mercado abrirá em 1 h 29 min
  • BOVESPA

    108.782,15
    -194,55 (-0,18%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.081,33
    -587,31 (-1,14%)
     
  • PETROLEO CRU

    79,18
    +1,94 (+2,51%)
     
  • OURO

    1.768,60
    +13,30 (+0,76%)
     
  • BTC-USD

    16.491,17
    +274,84 (+1,69%)
     
  • CMC Crypto 200

    389,47
    +9,18 (+2,41%)
     
  • S&P500

    3.963,94
    -62,18 (-1,54%)
     
  • DOW JONES

    33.849,46
    -497,57 (-1,45%)
     
  • FTSE

    7.530,60
    +56,58 (+0,76%)
     
  • HANG SENG

    18.204,68
    +906,74 (+5,24%)
     
  • NIKKEI

    28.027,84
    -134,99 (-0,48%)
     
  • NASDAQ

    11.672,25
    +56,00 (+0,48%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5709
    +0,0217 (+0,39%)
     

Cinco grandes fabricantes de produtos de limpeza estão fechados devido aos protestos golpistas nas estradas

SÃO PAULO, SP, 1º.11.2022 - Caminhoneiros apoiadores de Bolsonaro protestam e bloqueiam rodovia Castelo Branco na altura do KM 20. (Foto: Eduardo Knapp/Folhapress)
SÃO PAULO, SP, 1º.11.2022 - Caminhoneiros apoiadores de Bolsonaro protestam e bloqueiam rodovia Castelo Branco na altura do KM 20. (Foto: Eduardo Knapp/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Nesta quarta-feira (2), cinco grandes fabricantes de produtos de limpeza nos estados de São Paulo, Rio e Santa Catarina estão com a produção paralisada por conta das manifestações antidemocráticas nas estradas, provocadas por apoiadores do atual presidente Jair Bolsonaro (PL), derrotado nas urnas.

A informação é da Abipla (Associação Brasileira das Indústrias de Produtos de Higiene, Limpeza e Saneantes de Uso Doméstico e de Uso Profissional). De acordo com a entidade, apesar do feriado de Finados, as grandes empresas continuariam com ao menos uma linha de produção em atividade nesta quarta, mas não conseguiram por falta de matéria-prima.

"Caminhões carregados de hipoclorito de sódio e sulfato, dois dos principais insumos usados pela indústria de produtos de limpeza, não chegaram às fábricas", disse à Folha Paulo Engler, diretor-executivo da Abipla.

De acordo com Engler, no entanto, uma das fábricas, no Rio, vai conseguir retomar a produção nesta quinta-feira (3), por conta do desbloqueio nas estradas do estado.

Engler não revelou quais os nomes dos cinco grandes fabricantes atingidos pelos protestos. A Ypê é uma das maiores fabricantes do país e seus proprietários, a família Beira, foram apoiadores do presidente Jair Bolsonaro nas eleições.

A marca foi alvo de protestos nas redes sociais depois de um post em que a presidente do Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional), Larissa Peixoto, disse que iria comprar o detergente Ypê para "lavar nossa nação dessa imundice", referindo-se aos adversários de Jair Bolsonaro. Em nota, a empresa se afirmou apartidária.