Mercado fechado
  • BOVESPA

    111.439,37
    -2.354,63 (-2,07%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.307,71
    -884,59 (-1,69%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,42
    -0,55 (-0,76%)
     
  • OURO

    1.744,90
    -6,50 (-0,37%)
     
  • BTC-USD

    46.201,22
    -1.743,68 (-3,64%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.153,55
    -71,98 (-5,87%)
     
  • S&P500

    4.432,99
    -40,76 (-0,91%)
     
  • DOW JONES

    34.584,88
    -166,42 (-0,48%)
     
  • FTSE

    6.963,64
    -63,84 (-0,91%)
     
  • HANG SENG

    24.131,88
    -788,88 (-3,17%)
     
  • NIKKEI

    30.500,05
    +176,75 (+0,58%)
     
  • NASDAQ

    15.264,00
    -62,00 (-0,40%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1872
    -0,0122 (-0,20%)
     

Cinco assuntos quentes para o Brasil hoje

·4 minuto de leitura

(Bloomberg) -- Tensão política continua em meio a relatos de que Bolsonaro não deve recuar de ataques ao STF enquanto segue indefinição sobre precatórios, reformas sem andamento, caminhoneiros bloqueiam estradas e partidos iniciam conversas sobre possibilidade de impeachment. Tesouro faz oferta de prefixados. IPCA deve mostrar desaceleração no comparativo mensal. Campos Neto diz ser importante agir rápido para ancorar as expectativas. Bolsas externas e minério têm nova sessão de queda. Veja os destaques:

Tesouro e IPCA

O Tesouro oferta LTNs para os vencimentos 2022, 2023 e 2025, NTN-Fs para 2027 e 2031 e LFTs para 2023 e 2027 nesta quinta-feira. Leilão será um teste para o Tesouro após a tensão política ampliada por Bolsonaro no 7 de setembro, que pressionou fortemente os juros futuros. A taxa do DI para janeiro de 2025 superou 10%, maior nível desde novembro de 2018, enquanto as taxas mais longas dispararam mais de 20 pontos. O dólar saltou novamente para acima de R$ 5,30 e a bolsa despencou quase 4%. No leilão da semana passada, os juros futuros subiram após o Tesouro ampliar a oferta de prefixados. Juros futuros ainda podem reagir ao IPCA de agosto, que sai às 9:00. Estimativa é de 0,71% no comparativo mensal, após 0,96% na leitura anterior. Presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, disse ontem que o núcleo da inflação está mais alto do que o BC deseja e que é importante “agir rápido” para ancorar as expectativas.

Crise política

Os discursos das autoridades ao longo da quarta-feira em reação à declarações de Jair Bolsonaro no 7 de setembro fizeram pouco para esfriar a temperatura em Brasília. Luiz Fux foi enfático ao dizer que ninguém fechará o STF e que ameaçar decisões judiciais é crime de responsabilidade, enquanto Arthur Lira e Rodrigo Pacheco defenderam o diálogo entre os poderes. Bolsonaro teria dito a ministros, no entanto, que não recuará de ataques a Alexandre Moraes, segundo o Valor. O ministro do Supremo, por sua vez, liberou julgamento de projeto do governo que flexibiliza a posse de armas, diz o Globo. Entre os partidos, o PSDB oficializou oposição e diz que avalia pedido de impeachment. MBL convocou políticos de várias siglas para pedir a saída de Bolsonaro durante manifestações marcados para este domingo em todo o país.

Fiscal

A questão fiscal está no centro das preocupações dos investidores. Os ataques de Bolsonaro ao Supremo tornaram as negociações sobre os precatórios quase impossíveis, de acordo com duas pessoas, que pediram para não serem identificadas porque as discussões são privadas. A alternativa pode ser avançar no Congresso com a PEC, mas a situação tende a ficar mais difícil no Senado, disse uma das pessoas. Pacheco suspendeu as sessões desta semana após as manifestações e, segundo o Estado, o Congresso deve segurar o avanço de reformas, neste momento, e priorizar as discussões do Orçamento.

Bloqueio de caminhoneiros

O ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, reforçou o pedido feito em áudio pelo presidente Jair Bolsonaro para que os caminhoneiros liberem os bloqueios em estradas, contabilizados em ao menos 15 estados. Segundo o ministro, as paralisações provocam desabastecimento, inflação e prejudicam especialmente os mais pobres. Segundo boletim da pasta, às 08:00 foram registrados pontos de concentração em rodovias federais de 15 estados, com redução de 10% de ocorrência desde o último boletim, divulgado na madrugada. A nota diz que não há mais pontos de interdição de pistas por caminhoneiros na malha rodoviária federal. A paralisação prejudica produtos fabricados em unidades de frigoríficos em Santa Catarina e Mato Grosso, segundo Globo. Eletros, associação de fabricantes de eletroeletrônicos, diz que indústrias correm risco de parar produção por falta de insumos, conforme a Folha.

Bolsas e commodities

Bolsas europeias e futuros dos índices nos EUA recuam com a preocupação de investidores sobre desaceleração econômica e a perspectiva de redução de estímulos por bancos centrais. A disseminação da variante delta afeta a economia americana e as cadeias de suprimento globais, o que impacta o crescimento e eleva a inflação. Tal cenário reduz a capacidade dos bancos centrais de continuar a apoiar a recuperação. O BCE terá que determinar se a recuperação é forte o suficiente para justificar uma desaceleração iminente no estímulo monetário. Decisão sobre juros sai às 8:45 e a presidente Christine Lagarde fala às 9:30. A repressão regulatória da China no setor de tecnologia piora as perspectivas macro. Metais básicos sobem em Londres com preocupações sobre abastecimento. Incertezas sobre a demanda levam futuros do minério de ferro ao segundo dia de queda. Petróleo tem leve alta.

More stories like this are available on bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2021 Bloomberg L.P.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos