Mercado fechado
  • BOVESPA

    110.925,60
    -1.560,41 (-1,39%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.457,55
    -227,31 (-0,44%)
     
  • PETROLEO CRU

    81,41
    +0,86 (+1,07%)
     
  • OURO

    1.817,40
    +57,50 (+3,27%)
     
  • BTC-USD

    16.959,38
    -142,72 (-0,83%)
     
  • CMC Crypto 200

    401,44
    -4,71 (-1,16%)
     
  • S&P500

    4.076,57
    -3,54 (-0,09%)
     
  • DOW JONES

    34.395,01
    -194,76 (-0,56%)
     
  • FTSE

    7.558,49
    -14,56 (-0,19%)
     
  • HANG SENG

    18.736,44
    +139,21 (+0,75%)
     
  • NIKKEI

    28.226,08
    +257,09 (+0,92%)
     
  • NASDAQ

    12.036,50
    -5,75 (-0,05%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,4646
    +0,0681 (+1,26%)
     

Cigarro eletrônico pode aumentar incidência de cáries, segundo estudo

Não é de hoje que a comunidade científica destaca os pontos negativos de se aderir ao uso de vape (ou cigarro eletrônico), mas um recente estudo publicado na revista The Journal of the American Dental Association apontou que a prática pode aumentar o risco de cáries.

Segundo os pesquisadores da Tufts University School of Dental Medicine, a extensão dos efeitos na saúde bucal, especificamente na cárie dentária, ainda é relativamente desconhecida, o que exige futuros estudos. A ideia, por enquanto, é apenas conscientizar o público sobre os riscos.

Para chegar à descoberta, o grupo analisou dados de mais de 13 mil pacientes de clínicas odontológicas. Cerca de 79% dos pacientes adeptos ao vape foram categorizados como tendo alto risco de cárie, em comparação com apenas cerca de 60% dos outros pacientes.

“É importante entender que se trata de dados preliminares. Isso não é 100% conclusivo, mas as pessoas precisam estar cientes do que estamos vendo", apontam os autores do estudo.

Cigarro eletrônico pode aumentar riscos de cáries, segundo estudo (Imagem: tommyandone/Envato)
Cigarro eletrônico pode aumentar riscos de cáries, segundo estudo (Imagem: tommyandone/Envato)

Mas o que justifica essa relação? Uma das teorias dos autores é que o cigarro eletrônico pode contribuir para um alto risco de cáries devido ao teor açucarado e a viscosidade das essências, que, quando aerossolizadas e inaladas pela boca, adere aos dentes.

Anteriormente, um estudo demonstrou que os aerossóis vaporizadores alteram o microbioma oral, tornando-o mais hospitaleiro a bactérias causadoras de cáries. Também foi observado que o vape parece estimular a cárie em áreas onde geralmente não ocorre, como as bordas inferiores dos incisivos superiores (dentes da frente).

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: