Mercado fechado
  • BOVESPA

    98.672,26
    +591,91 (+0,60%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.741,50
    +1.083,62 (+2,32%)
     
  • PETROLEO CRU

    107,06
    +2,79 (+2,68%)
     
  • OURO

    1.828,10
    -1,70 (-0,09%)
     
  • BTC-USD

    21.415,32
    -17,99 (-0,08%)
     
  • CMC Crypto 200

    462,12
    +8,22 (+1,81%)
     
  • S&P500

    3.911,74
    +116,01 (+3,06%)
     
  • DOW JONES

    31.500,68
    +823,32 (+2,68%)
     
  • FTSE

    7.208,81
    +188,36 (+2,68%)
     
  • HANG SENG

    21.719,06
    +445,19 (+2,09%)
     
  • NIKKEI

    26.491,97
    +320,72 (+1,23%)
     
  • NASDAQ

    12.132,75
    +395,25 (+3,37%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5524
    +0,0407 (+0,74%)
     

Cientistas usam tecnologia mRNA para regenerar células do coração após infarto

Pesquisadores da University of Houston (EUA) desenvolveram um método para normalizar células do coração após um infarto, através da tecnologia de mRNA (RNA mensageiro), que ficou conhecida principalmente por conta de algumas das vacinas contra a covid-19. Os resultados foram publicados na revista científica The Journal of Cardiovascular Aging.

Em experimentos, os cientistas conseguiram não apenas reparar as células do músculo cardíaco em camundongos, mas também as regenerá-las após o ataque cardíaco. A ideia é que a inovação possa ajudar em futuros tratamentos de doenças cardíacas em humanos.

Na prática, essa nova tecnologia desenvolvida pela equipe de pesquisadores usa o mRNA para entregar proteínas que controlam a conversão de DNA em RNA. Assim, esse mRNA sintético contribui para um crescimento semelhante a células-tronco.

Os pesquisadores observaram que duas dessas proteínas (Stemin e YAP5SA) podem trabalhar em conjunto para aumentar a replicação de células do músculo cardíaco — pelo menos 15 vezes em 24 horas após as injeções cardíacas.

O artigo ainda defende que o mRNA sintético desaparece em poucos dias, enquanto as terapias genéticas entregues às células por vetores virais levantam várias preocupações de biossegurança porque não podem ser facilmente interrompidas.

Cientistas usam tecnologia mRNA para regenerar células do coração após infarto (Imagem: Neonbrand/Unsplash)
Cientistas usam tecnologia mRNA para regenerar células do coração após infarto (Imagem: Neonbrand/Unsplash)

RNA mensageiro (mRNA)

Conforme explica o National Human Genome Research Institute, o RNA mensageiro é um tipo de RNA de fita simples envolvido na síntese de proteínas, e feito a partir de um molde de DNA durante o processo de transcrição. O papel do mRNA é transportar a informação da proteína do DNA no núcleo para o citoplasma da célula.

Podemos ver a tecnologia mRNA nas vacinas da Pfizer e a da Moderna contra a covid-19. Nessa técnica, o imunizante carrega o código genético do vírus que contém as instruções para que as células do corpo produzam determinadas proteínas, e introduz nas células do organismo a sequência de RNA mensageiro, que contém a receita para que essas células produzam uma proteína específica do vírus.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos