Mercado fechado
  • BOVESPA

    111.923,93
    +998,33 (+0,90%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.234,37
    -223,18 (-0,43%)
     
  • PETROLEO CRU

    80,34
    -0,88 (-1,08%)
     
  • OURO

    1.797,30
    -3,80 (-0,21%)
     
  • BTC-USD

    17.031,78
    +108,28 (+0,64%)
     
  • CMC Crypto 200

    404,33
    +2,91 (+0,72%)
     
  • S&P500

    4.071,70
    -4,87 (-0,12%)
     
  • DOW JONES

    34.429,88
    +34,87 (+0,10%)
     
  • FTSE

    7.556,23
    -2,26 (-0,03%)
     
  • HANG SENG

    18.675,35
    -61,09 (-0,33%)
     
  • NIKKEI

    27.777,90
    -448,18 (-1,59%)
     
  • NASDAQ

    11.979,00
    -83,75 (-0,69%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,4940
    +0,0286 (+0,52%)
     

Cientistas usam bactérias magnéticas para combater tumores no organismo

Um novo estudo publicado na revista Science Robotics trouxe à tona um método inusitado para combater tumores: através de bactérias naturalmente magnéticas devido às partículas de óxido de ferro que contêm. Essas bactérias pertencem o gênero Magnetospirillum e respondem a campos magnéticos, podendo ser controladas por ímãs de fora do corpo.

Segundo o relatório, um campo magnético aplicado no tumor melhora a capacidade da bactéria de atravessar a parede vascular. Na prática, a parede do vaso sanguíneo é composta por uma camada de células e serve como uma barreira entre a corrente sanguínea e o tecido tumoral, que é permeado por muitos pequenos vasos sanguíneos.

Espaços estreitos entre essas células permitem que certas moléculas passem pela parede do vaso. O tamanho desses espaços intercelulares é regulado pelas células da parede do vaso, e eles podem ser temporariamente largos o suficiente para permitir que até mesmo as bactérias passem.

Os pesquisadores conseguiram mostrar que impulsionar as bactérias usando um campo magnético rotativo é eficaz porque elas ficam em constantemente em movimento, viajando ao longo da parede vascular, o que aumenta as chances de encontrar as lacunas que se abrem brevemente entre as células da parede do vaso.

Bactérias magnéticas injetam medicamentos no organismo para combater tumores (Imagem: Spectral/Envato)
Bactérias magnéticas injetam medicamentos no organismo para combater tumores (Imagem: Spectral/Envato)

Uma vantagem é que, ao contrário de outros métodos, as bactérias não precisam ser rastreadas por meio de imagens. Uma vez que o campo magnético esteja posicionado sobre o tumor, ele não precisa ser reajustado. A ideia é que essas bactérias possam transportar medicamentos anticâncer no futuro.

No estudo, os pesquisadores simularam essa aplicação anexando lipossomas (nanoesferas de substâncias semelhantes a gordura) às bactérias, e marcaram esses lipossomas com um corante fluorescente, o que lhes permitiu demonstrar na placa de Petri que as bactérias realmente entregaram sua “carga” dentro do tecido canceroso, onde se acumularam.

É claro que ainda há bastante estudo pela frente antes que isso possa ser utilizado para combater tumores em humanos, mas já é um primeiro passo.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: