Mercado fechado
  • BOVESPA

    105.069,69
    +603,45 (+0,58%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.597,29
    -330,09 (-0,65%)
     
  • PETROLEO CRU

    66,22
    -0,28 (-0,42%)
     
  • OURO

    1.782,10
    +21,40 (+1,22%)
     
  • BTC-USD

    48.301,91
    -6.747,84 (-12,26%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.367,14
    -74,62 (-5,18%)
     
  • S&P500

    4.538,43
    -38,67 (-0,84%)
     
  • DOW JONES

    34.580,08
    -59,71 (-0,17%)
     
  • FTSE

    7.122,32
    -6,89 (-0,10%)
     
  • HANG SENG

    23.766,69
    -22,24 (-0,09%)
     
  • NIKKEI

    28.029,57
    +276,20 (+1,00%)
     
  • NASDAQ

    15.687,50
    -301,00 (-1,88%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3953
    +0,0151 (+0,24%)
     

Cientistas testam vacina adesiva contra covid-19, e resultados são promissores

·1 min de leitura

E se, no lugar da famigerada agulha, a vacina contra a covid-19 fosse aplicada por meio de um... adesivo? Essa é a ideia de pesquisadores da Universidade de Queensland (Austrália): um procedimento bem menos invasivo, capaz de resolver o problema de pessoas com fobia de agulhas. O estudo foi publicado na última sexta-feira (29).

Na publicação, os pesquisadores explicam que o procedimento consiste em um "clique" feito com um aplicador na pele, e 5 mil projeções microscópicas quase imperceptivelmente distribuem a vacina na pele. Esse adesivo tem o tamanho de um dedo, e é fornecido pela empresa Vaxxas.

O artigo descreve que a vacina em forma de adesivo protegeu com sucesso camundongos contra a exposição ao SARS-CoV-2, o vírus que causa a covid-19. Além disso, a resposta imunológica desencadeada pelo adesivo foi mais forte que a mesma vacina aplicada por agulha.

A vacina usada no teste foi a candidata HexaPro, da Universidade do Texas, desenvolvida na esperança de promover imunizantes de baixo custo. O produto pode ser armazenado em temperaturas de até 8° C, eliminando a necessidade de freezer especializado.

(Imagem: Divulgação/Vaxxas)
(Imagem: Divulgação/Vaxxas)

As proteínas da vacina são estáveis ​​no adesivo por até um mês a 25° C e uma semana mesmo em temperaturas de até 40° C. Agora que a vacina provou ser eficaz em ratos, a equipe espera iniciar os testes clínicos o quanto antes. O estudo completo pode ser encontrado na revista Science Advances.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos