Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.918,06
    -183,93 (-0,17%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.489,43
    -1.018,92 (-1,94%)
     
  • PETROLEO CRU

    84,81
    -0,74 (-0,86%)
     
  • OURO

    1.830,30
    -12,30 (-0,67%)
     
  • BTC-USD

    38.123,49
    -4.543,62 (-10,65%)
     
  • CMC Crypto 200

    894,29
    +651,61 (+268,51%)
     
  • S&P500

    4.403,48
    -79,25 (-1,77%)
     
  • DOW JONES

    34.306,79
    -408,60 (-1,18%)
     
  • FTSE

    7.494,13
    -90,88 (-1,20%)
     
  • HANG SENG

    24.965,55
    +13,20 (+0,05%)
     
  • NIKKEI

    27.522,26
    -250,67 (-0,90%)
     
  • NASDAQ

    14.563,50
    -277,50 (-1,87%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1824
    +0,0523 (+0,85%)
     

Cientistas rastreiam sinais cerebrais associados ao TOC pela primeira vez

·1 min de leitura

Pela primeira vez, cientistas conseguiram rastrear sinais cerebrais associados ao transtorno obsessivo-compulsivo (TOC). As descobertas foram relatadas em um estudo publicado na revista científica Nature Medicine no último dia 9. A expectativa dos pesquisadores da Brown University (EUA) é que o conhecimento sobre esses sinais cerebrais possa levar ao surgimento de novas terapias.

O estudo registrou sinais elétricos nos cérebros de cinco pessoas com o transtorno. “Usando esses sinais cerebrais, podemos ser capazes de diferenciar quando alguém está experimentando sintomas de TOC e quando não está, e essa técnica torna possível registrar essa diversidade de comportamento e atividade cerebral", explica a autora, Nicole Provenza.

Estudos anteriores chegaram a utilizar uma terapia de estimulação cerebral profunda (DBS), que implanta eletrodos em regiões específicas do cérebro. Essa técnica se mostrou promissora em mais da metade dos pacientes que não respondem a outros tratamentos. Os dispositivos que a equipe da Brown University utilizou na pesquisa também eram baseados nesse procedimento.

Cientistas descobrem sinais cerebrais associados ao TOC (Imagem: microgen/envato)
Cientistas descobrem sinais cerebrais associados ao TOC (Imagem: microgen/envato)

"Um sistema capaz de ajustar a intensidade da estimulação cerebral em resposta aos sintomas pode fornecer mais alívio e menos efeitos colaterais para os pacientes. Mas, para habilitar essa tecnologia, devemos primeiro identificar os biomarcadores cerebrais associados aos sintomas de TOC, e é nisso que estamos trabalhando neste estudo", explica a pesquisadora.

Por enquanto, o estudo ainda se encontra em seus estágios iniciais, então há uma longa jornada pela frente. Ainda assim, os especialistas envolvidos relatam que esse é um primeiro passo rumo à compreensão e ao tratamento do transtorno obsessivo-compulsivo.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos