Mercado fechará em 2 h 35 min
  • BOVESPA

    107.303,69
    -1.637,99 (-1,50%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.313,93
    -1.285,45 (-2,49%)
     
  • PETROLEO CRU

    82,37
    -2,77 (-3,25%)
     
  • OURO

    1.833,60
    +1,80 (+0,10%)
     
  • BTC-USD

    34.317,50
    -1.055,51 (-2,98%)
     
  • CMC Crypto 200

    781,97
    -28,63 (-3,53%)
     
  • S&P500

    4.281,34
    -116,60 (-2,65%)
     
  • DOW JONES

    33.540,70
    -724,67 (-2,11%)
     
  • FTSE

    7.313,51
    -180,62 (-2,41%)
     
  • HANG SENG

    24.656,46
    -309,09 (-1,24%)
     
  • NIKKEI

    27.588,37
    +66,11 (+0,24%)
     
  • NASDAQ

    14.017,00
    -409,50 (-2,84%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2232
    +0,0332 (+0,54%)
     

Cientistas observam estrela supergigante vermelha momentos antes da explosão

·1 min de leitura
Foto: Reprodução da internet.
Foto: Reprodução da internet.
  • Pela primeira vez, astrônomos conseguiram observar uma estrela gigante vermelha antes de sua explosão;

  • Com o uso de um telescópio no Havaí, uma equipe de cientistas observou e reuniu as informações da estrela desde 2020;

  • Para o pesquisador responsável pela pesquisa, o acontecimento é um avanço na compreensão do que estrelas massivas fazem antes de morrer.

Para os cientistas, é mais fácil assistir às diversas e confusas explosões estrelares do que ver o período que as precede. Contudo, os astrônomos conseguiram observar pela primeira vez uma estrela gigante vermelha momentos antes de se transformar em um supernova.

Com o uso de um telescópio no Havaí, uma equipe de cientistas conseguiu reunir as observações feitas de uma estrela supergigante vermelha no verão de 2020. 

Leia também:

A mesma esfera morreu em uma supernova denominada (SN) 2020tlf. Membros da equipe a definiram como uma das mais intrigantes do tipo.

Wynn Jacobson-Galán, pesquisador de pós-graduação em astronomia na National Science Foundation, da Universidade da Califórnia, em Berkeley, e principal autor do novo estudo que relata os resultados da explosão, afirma que o acontecimento é um avanço para a compreensão dos momentos anteriores à morte da estrela.

É a primeira vez que se vê uma estrela supergigante vermelha explodir. A esfera continha por volta de dez vezes a massa do Sol, e se encontrava cerca de 120 milhões de anos-luz da Terra, na galáxia NGC 5731.

A nova pesquisa reuniu observações da região e da própria supernova feitas por diversos telescópios, que começaram as análises em 2020, observando o local pelo período de um ano depois da explosão.

Agora, os astrônomos esperam observar outras supergigantes vermelhas antes da erupção, de forma a compreender melhor os últimos dias antes da supernova.

As informações são do Space.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos