Mercado abrirá em 3 h 55 min
  • BOVESPA

    112.764,26
    +3.046,26 (+2,78%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.853,37
    +392,77 (+0,81%)
     
  • PETROLEO CRU

    89,97
    -2,12 (-2,30%)
     
  • OURO

    1.799,70
    -15,80 (-0,87%)
     
  • BTC-USD

    24.056,97
    -616,69 (-2,50%)
     
  • CMC Crypto 200

    571,82
    +0,54 (+0,09%)
     
  • S&P500

    4.280,15
    +72,88 (+1,73%)
     
  • DOW JONES

    33.761,05
    +424,35 (+1,27%)
     
  • FTSE

    7.513,08
    +12,19 (+0,16%)
     
  • HANG SENG

    20.040,86
    -134,76 (-0,67%)
     
  • NIKKEI

    28.871,78
    +324,80 (+1,14%)
     
  • NASDAQ

    13.518,00
    -59,75 (-0,44%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1906
    -0,0129 (-0,25%)
     

Cientistas investigam cabeça de múmia egípcia encontrada em sótão

Imagina encontrar a cabeça de uma múmia egípcia ao limpar o sótão da sua casa? Foi o que aconteceu com uma família de Kent, na Inglaterra. A teoria é que o antigo proprietário a trouxe do Egito como lembrança, mas ninguém conseguiu explicar como a relíquia foi parar em sua posse, para início de conversa. Com isso, cientistas passaram a investigar a múmia para fazer a reconstrução de sua história.

Os especialistas da Canterbury Christ Church University concluíram, depois de conduzir a análise, que a múmia era uma mulher adulta. Na prática, a equipe contou com a ajuda de um aparelho de tomografia computadorizada. “A varredura fornece uma enorme quantidade de informações – tudo, desde status dentário, patologias, método de preservação, bem como estimativas de idade e sexo”, afirmam os envolvidos.

Os cientistas planejam usar os dados de escaneamento para criar uma réplica tridimensional da cabeça e uma possível reconstrução facial para permitir um estudo mais intensivo sem expor o artefato real. Reconstruções semelhantes já foram realizados anteriormente. Os responsáveis pela pesquisa também apostaram em reconstruções em 3D, que foram compartilhadas nas redes sociais:

“A partir de 3500 aC, a mumificação era vista como uma forma de guardar o espírito em sua jornada para a vida após a morte. Ironicamente, os antigos egípcios acreditavam que a mente de uma pessoa era mantida em seu coração e tinha pouca consideração pelo cérebro. Independentemente disso, o cérebro foi removido para ajudar na preservação do indivíduo”, afirmou Elliot, coordenador da pesquisa.

Embora relatos tradicionais afirmem que o cérebro da múmia costuma ser removido exclusivamente pelo nariz, pesquisas usando tomografia computadorizada mostraram que isso varia bastante. Com o passar do tempo, a estimativa é que a tecnologia ajude cada vez mais esses especialistas a encontrar informações sobre as múmias.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos