Mercado fechado
  • BOVESPA

    114.647,99
    +1.462,52 (+1,29%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    52.798,38
    +658,14 (+1,26%)
     
  • PETROLEO CRU

    82,66
    +1,35 (+1,66%)
     
  • OURO

    1.768,10
    -29,80 (-1,66%)
     
  • BTC-USD

    61.020,25
    +399,55 (+0,66%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.464,06
    +57,32 (+4,07%)
     
  • S&P500

    4.471,37
    +33,11 (+0,75%)
     
  • DOW JONES

    35.294,76
    +382,20 (+1,09%)
     
  • FTSE

    7.234,03
    +26,32 (+0,37%)
     
  • HANG SENG

    25.330,96
    +368,37 (+1,48%)
     
  • NIKKEI

    29.068,63
    +517,70 (+1,81%)
     
  • NASDAQ

    15.144,25
    +107,00 (+0,71%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3297
    -0,0741 (-1,16%)
     

Cientistas do governo dos EUA hesitam em recomendar 3ª dose de vacina anticovid

·2 minuto de leitura

Nesta semana, os Estados Unidos decidirão se, quando e em quem aplicarão doses de reforço da vacina da Pfizer no país. Apesar de vários países já terem começado a utilizar a terceira dose, incluindo o Brasil, cientistas da Food and Drug Administration (FDA) dos EUA, equivalente à Anvisa, ainda adotam tom cauteloso sobre o tema.

Em documento publicado na quarta-feira (15), os membros da FDA defenderam que os dados atuais mostram que as vacinas licenciadas no país (Pfizer, Moderna e Janssen) ainda oferecem boa proteção contra casos severos de covid-19 e óbitos.

Ao mesmo tempo, os cientistas apontam que nem todos os estudos relevantes sobre o tema foram analisados até o momento, especialmente com dados de Israel, onde a terceira dose de Pfizer tem sido amplamente distribuída.

Pfizer recomenda aplicação da terceira dose, mas cientistas do FDA não estão convencidos (Imagem: Divulgação/Pfizer)
Pfizer recomenda aplicação da terceira dose, mas cientistas do FDA não estão convencidos (Imagem: Divulgação/Pfizer)

A fabricante sustenta que a terceira dose da sua vacina tem bons resultados e que anticorpos decaem após um período de 6 a 8 meses após a segunda dose. Quando injetou o reforço em 306 voluntários, os níveis de anticorpos rapidamente se elevaram novamente, e a um nível três vezes mais alto do que nas primeiras aplicações.

Nesta sexta-feira (17), a FDA realizará a reunião que definirá qual será a orientação em relação à terceira dose. No entanto, a posição da agência é apenas uma sugestão e não uma norma. A decisão ficará por conta de um conselho separado, ligado aos Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC).

Ainda que não seja um parecer definitivo, uma recomendação contrária à terceira dose pode ser atrasar os planos dos Estados Unidos para o reforço vacinal. O presidente Joe Biden já havia anunciado em agosto o plano da terceira dose, antes mesmo de consultar a FDA e o CDC. O plano original seria iniciar a distribuição já na semana que vem.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos