Mercado fechará em 3 h 58 min

Cientistas ensinam abelhas a diferenciar número par de ímpar; veja!

Abelhas podem aprender o conceito de par ou ímpar, segundo estudo australiano publicado na revista científica Frontiers in Ecology and Evolution na última sexta-feira (29). O artigo abre portas, inclusive, para a possibilidade de mais animais apresentarem essa capacidade.

Para chegar a essa descoberta, os cientistas expuseram as abelhas a uma série de cartões com algumas formas (círculos, quadrados, triângulos). Alguns tinham uma quantidade par de desenhos, enquanto outros tinham uma quantidade ímpar. Com isso, as abelhas foram divididas em dois grupos:

No primeiro grupo, os cartões com uma quantidade ímpar de formas tinham sido mergulhados em um produto químico chamado quinino, conhecido por causar aversão às abelhas graças a seu gosto amargo. Os outros cartões — que tinham uma quantidade par de formas — trazia água com açúcar.

No outro grupo, a situação era oposta: cartões ímpares com o sabor adocicado e cartões pares com o sabor amargo. Após várias sessões de treinamento para aprender a diferença entre ímpar e par, as abelhas conseguiram uma taxa de sucesso de 80%. Veja o vídeo para entender melhor como funcionou esse estudo, na prática:

Conforme o estudo comenta, as abelhas que se depararam com cartões ímpares adocicados tiveram mais facilidade em distinguir par ou ímpar do que as outras. “Até agora, a categorização ímpar e par, também chamada de classificação de paridade, nunca havia sido mostrada em animais além dos seres humanos. Mostramos que as abelhas podem aprender a fazer isso", concluem os pesquisadores.

Ainda é um mistério a razão pela qual as abelhas conseguem distinguir par ou ímpar, o que exige uma análise mais apurada no futuro.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos