Mercado fechado
  • BOVESPA

    117.560,83
    +362,83 (+0,31%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    46.326,68
    +480,88 (+1,05%)
     
  • PETROLEO CRU

    88,99
    +0,54 (+0,61%)
     
  • OURO

    1.719,90
    -0,90 (-0,05%)
     
  • BTC-USD

    19.922,58
    -192,57 (-0,96%)
     
  • CMC Crypto 200

    456,11
    -7,01 (-1,51%)
     
  • S&P500

    3.744,52
    -38,76 (-1,02%)
     
  • DOW JONES

    29.926,94
    -346,96 (-1,15%)
     
  • FTSE

    6.997,27
    -55,35 (-0,78%)
     
  • HANG SENG

    18.012,15
    -75,85 (-0,42%)
     
  • NIKKEI

    27.311,30
    +190,80 (+0,70%)
     
  • NASDAQ

    11.503,00
    -38,75 (-0,34%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,0960
    -0,0402 (-0,78%)
     

Cientistas encontram forma de produzir oxigênio em Marte

Cientistas encontram uma forma de produzir oxigênio em Marte
Cientistas encontram uma forma de produzir oxigênio em Marte
  • Um novo avanço no plasma pode ajudar os humanos a respirar em Marte

  • A Nasa já está trabalhando no que chama de Mars Oxygen In-Situ Resource Utilization Experiment;

  • Numerosas agências espaciais e especialistas esperam enviar humanos para viver em Marte nos próximos anos

Ao que tudo indica um novo avanço no plasma pode ajudar os humanos a respirar em Marte. Cientistas esperam construir um sistema que ajude a sustentar a vida, além de produzir os produtos químicos necessários para o processamento de combustíveis.

Numerosas agências espaciais e especialistas esperam enviar humanos para viver em Marte nos próximos anos. Mas o planeta é hostil: não tem o oxigênio para os humanos, nem o combustível para as máquinas e equipamentos que eles precisarão para viver.

Os engenheiros esperam que isso possa ser superado com tecnologia que produza o oxigênio e outros materiais necessários para os anos que os humanos esperam passar no planeta. Se esses problemas não puderem ser resolvidos, a humanidade pode nunca sobreviver no planeta vermelho.

A Nasa já está trabalhando no que chama de Mars Oxygen In-Situ Resource Utilization Experiment, que busca criar recursos em Marte. A nova descoberta complementa essa abordagem e pode fornecer uma maneira eficiente de produzir as moléculas necessárias.

À medida que os engenheiros procuram produzir o oxigênio necessário para a vida humana em Marte, eles são atingidos por problemas. Mas o novo avanço pode ajudar.

“Primeiro, a decomposição de moléculas de dióxido de carbono para extrair oxigênio. É uma molécula muito difícil de quebrar”, disse Vasco Guerra, da Universidade de Lisboa, autor do novo artigo. “Segundo, a separação do oxigênio produzido de uma mistura gasosa que também contém, por exemplo, dióxido de carbono e monóxido de carbono. Estamos analisando essas duas etapas de maneira holística para resolver os dois desafios ao mesmo tempo. É aqui que os plasmas podem ajudar.”

O plasma é o quarto estado natural da matéria. Ele contém partículas carregadas livres, como elétrons e íons, que podem ser usadas para ajudar a produzir oxigênio.

“Quando elétrons semelhantes a balas colidem com uma molécula de dióxido de carbono, eles podem decompô-la diretamente ou transferir energia para fazê-la vibrar”, disse Guerra.

“Esta energia pode ser canalizada, em grande medida, para a decomposição do dióxido de carbono. Juntamente com nossos colegas na França e na Holanda, demonstramos experimentalmente a validade dessas teorias. Além disso, o calor gerado no plasma também é benéfico para a separação do oxigênio”, completo o pesquisador

O mesmo sistema pode ajudar a separar as moléculas de dióxido de carbono para produzir combustíveis verdes e reciclar produtos químicos, sugerem os cientistas – ajudando a lidar com as mudanças climáticas na Terra também.

A nova pesquisa é descrita em um artigo, 'Plasmas para utilização de recursos in-situ em Marte: Combustíveis, suporte de vida e agricultura', publicado hoje no Journal of Applied Physics .